Qual é o melhor DAW para iPad? Comparamos os 8 aplicativos mais famosos

Daws para iPad MusicApps

DAW, ou Digital Audio Workstation, é o nome dado aos softwares que são ambientes completos para a produção musical. O termo, muito utilizado para denominar famosos títulos para o computador, como Protools, Cubase e Sonar, também é empregado para tratar dos aplicativos que possuem a mesma finalidade no iPad. Hoje, o tablet da Apple conta com diversas opções de apps para a produção musical, envolvendo a gravação de áudio e MIDI. Mas qual é o mais completo? Qual possui a melhor interface? O melhor custo benefício? É exatamente o que tentarei responder nesta matéria especial do MusicApps!

Mesmo sendo muito mais baratos do que os títulos do gênero para Mac e Windows, os DAWs para iPad são geralmente mais caros que os demais apps musicais. Ter todos para fazer a comparação já não é exatamente uma tarefa barata. Para fazer esta análise, decidi escolher apenas os apps mais populares e que continuam sendo atualizados com os recursos mais recentes da música no iOS, como a compatibilidade com o Audiobus. Foram testados os seguintes apps: GarageBand, Cubasis, Auria, BeatMaker 2, NanoStudio, MultiTrack DAW, Meteor Multitrack Recorder e FL Studio HD.

Áudio, MIDI ou ambos?

Esta é a nossa primeira divisão. Todos os apps testados são capazes de trabalhar com várias pistas. Porém, nem todos trabalham com áudio e MIDI. Auria e MultiTrack DAW gravam apenas áudio. Já o NanoStudio trabalha, exclusivamente, com a gravação MIDI para utilizar seus próprios instrumentos.  Neste aspecto, ponto para o Auria e MultiTrack DAW, já que podem compensar a ausência do recurso gravando o áudio de outros apps iOS, através do Audiobus.

Vale explicar que, apesar do termo DAW se referir basicamente a softwares que gravam áudio, o NanoStudio sempre foi tratado como DAW para iOS, mesmo operando apenas com MIDI.

Então, colocando ordem nas coisas:

Apps que trabalham com Áudio e MIDI: GarageBand, Cubasis, BeatMaker 2, Meteor Multitrack Recorder e FL Studio HD.

Apps que trabalham só com Áudio: Auria e MultiTrack DAW.

Apps que trabalham só com MIDI: NanoStudio.

A melhor Interface

Interface tem tudo a ver com o iPad. O que fez o iPad ficar famoso foi a sua maneira única de possibilitar a interação do usuário com seus aplicativos. Porém, interfaces de tela multitoque não eram exatamente novidades quando o iPad surgiu. O que fez a diferença foi projetar a interface para as características do tablet da Apple, proporcionando uma experiência única.

Auria: interface lembra softwares de produção musical para o computador

Neste aspecto, considero campeões os apps que não ficam presos ao velho conceito de software para a produção musical de Macs e PCs. O Auria, por exemplo, apesar de todo seu poder e flexibilidade, que ainda serão comentados aqui, é quase um software de produção musical para o computador migrado para o iOS, no que se refere à interface. Diversas janelas, botões bem pequenos, ações pouco intuitivas. Isto não combina com o iPad, na minha opinião. O Multitrack DAW segue a mesma linha, mas tenta explorar um pouco mais o gestos típicos de quem utiliza o tablet para permitir suas edições.

MultiTrack DAW

Cubasis, FL Studio, BeatMaker 2 e Meteor apostam na reprodução de teclados virtuais e pads para facilitar a gravação com seus instrumentos, Alguns deles investem na utilização de sensores do iPad, como o acelerômetro, para controlar alguns efeitos de maneira alternativa, se o usuário desejar. Vale elogiar aqui a interface de pads do BeatMaker 2 e do NanoStudio, ambas são excelentes e podem funcionar tanto como controlador para instrumentos, como para disparar samples e músicas inteiras do usuário.

Cubasis

O NanoStudio, além de oferecer teclado e pads virtuais, aposta na automação de filtros e efeitos por meio de pads XY, algo que tem a cara do iPad.

Nanostudio

Mas, ninguém aqui supera o GarageBand. O DAW da Apple oferece o básico, muito bem implementado, e vai além. É o único a apresentar interface realmente dedicada ao tablet, de maneira inovadora, com seus smart instruments, que muitas vezes funcionam bem melhor do que a simples reprodução de teclas virtuais. É também a interface mais intuitiva e limpa.

GarageBand: Smart Instruments fazem a diferença

timbres Melhores timbres

Os apps que trabalham com MIDI oferecem instrumentos virtuais próprios. Apenas um deles cobra por isto: o Meteor. Nele, a edição MIDI e os instrumentos virtuais são vendidos dentro do aplicativo.

Meteor: instrumentos virtuais e pacote MIDI são vendidos no app

E é neste quesito que os DAWs para iPad mais deixam a desejar. Falar que qualquer um deles traz timbres excelentes é exagero. Nenhum deles chega perto do que oferecer os instrumentos virtuais básicos que acompanham os DAWs para computador.

GarageBand: coleção de instrumentos de boa qualidade

Mesmo com poucos instrumentos e poucas possibilidades para edição de timbres, o campeão novamente é o GarageBand. Ele oferece o melhor órgão hammond para o iOS, não só entre os DAWs, mas entre todos os outros aplicativos musicais, bons strings, bons sintetizadores, pianos acústicos razoáveis, pianos elétricos legais, baterias “usáveis” e boa qualidade de timbres nos Smart Instruments.

NanoStudio: rodando também no iphone, app traz o ótimo sintetizador Eden
NanoStudio: rodando também no iphone, app traz o ótimo sintetizador Eden

O Meteor oferece um bom sintetizador analógico virtual. O NanoStudio traz um dos mais versáteis sintetizadores analógicos virtuais, o Eden, digno de destaque!

Beatmaker 2: interface de pads e ótimos sons para música eletrônica

A coleção do Beatmaker 2, como o próprio nome mostra, parece ser toda voltada para a produção de música eletrônica. Há excelentes baixos e kits de bateria. Mas não espere encontrar nada acústico com qualidade. Ele e o NanoStudio são, disparados, os melhores para se fazer música eletrônica.

FL Studio HD: coleção de timbres decepciona na qualidade

FL Studio e Cubasis, dois nomes fortes no mundo dos desktops e notebooks, decepcionam. A expectativa era que superassem o GarageBand em qualidade e quantidade de timbres. Apenas a segunda foi superada até o momento.

Vale lembrar que todos os apps que trabalham com a gravação de áudio podem contar com timbres gravados a partir de outros apps, via Audiobus.

fx Melhores efeitos

Todos os apps citados possuem os efeitos básicos (reverb e delay) com qualidade satisfatória. O que varia é o número de possibilidades de trabalho com estes e outros efeitos.

Cubasis, Auria, BeatMaker 2 e NanoStudio permitem a utilização de efeitos gerais e a inserção de efeitos por track. Enquanto, GarageBand, Meteor, FL Studio Mobile e Multitrack DAW trabalham apenas com efeitos gerais compartilhados para todas as pistas. Em relação às possibilidades de configuração de manipulação de efeitos, o FL Studio Mobile e o MultiTrack DAW são os mais fracos.

Auria: melhores efeitos disponíveis no iOS

O Auria está em outro patamar. É muito, mais muito melhor que os demais em relação aos efeitos. Além de já chegar com uma coleção generosa de efeitos básicos, migrados de plugins famosos para o computador, o app oferece em sua loja (dentro do próprio app) diversos efeitos para as mais diferentes finalidades. O nível de customização dos efeitos do Auria também é absurdo.

audio Melhores recursos para a gravação e edição de áudio

Auria: melhores recursos para gravação e edição de áudio

Sem delongas: Auria. Por ser exclusivo para a gravação de áudio, o app investe pesado em tudo que se refere ao tema. Suas possibilidades de edição são excelentes. Vale destacar novamente sua coleção de plugins, que oferece solução para quase tudo, de simples efeitos a drum replacer (plugin capaz de substituir o áudio gravado por samples de bateria, de forma muito interessante).

Melhor sampler

BeatMaker 2: sampler versátil no iPad

BearMaker 2 e Meteor. Ambos oferecem suporte à várias amostras para um mesmo instrumento e possuem editores descomplicados para que o novo som se comporte da maneira que você espera.

Melhor editor MIDI

GarageBand: Editor MIDI Piano Roll extremamente simples e funcional

GarageBand oferece a interface mais amigável na hora de editar MIDI. Porém, o NanoStudio, BeatMaker 2 e a versão mais recente do Cubasis também fazem um bom trabalho e oferecem recursos para edição mais profunda.

Melhor sequenciador MIDI

Alguns destes aplicativos possuem a capacidade de funcionar como sequenciadores MIDI para outros aplicativos musicais ou instrumentos externos. Daqueles que testei, além dos que somente trabalham com áudio, NanoStudio e GarageBand não oferecem esta possibilidade. Os demais funcionam bem comandando outros aplicativos e instrumentos externos. Porém, devo destacar o BeatMaker 2, que parece já ter nascido para isto.

Beatmaker 2: configuração MIDI aparente, facilidade para comandar outros apps e instrumentos externos

No BeatMaker 2, cada tela de instrumento já traz as configurações MIDI “na cara” do usuário. Você seleciona o MIDI IN, MIDI OUT, configura controles CC, tudo de forma muito prática. Então, comandar outros apps com ele é realmente algo simples.

Mais versátil

O título de mais versátil é polêmico. Sei que muitos vão discordar, mas considero versátil um app que eu possa abrir em qualquer lugar e produzir uma ideia com ou sem acessórios, com ou sem instrumentos reais, com ou sem instrumentos virtuais, que possa ser controlado por MIDI, mas que também tenha boa tocabilidade na tela. Então, vc já sabe, é o GarageBand.

Mas, preciso reconhecer que o meu conceito de versatilidade não é verdade absoluta. Muitos leitores vão considerar versátil aquele app que grava só áudio, mas registra 128 pistas. Como disse, é o meu conceito.

Mais estável

Ah, a estabilidade! A palavra tão temida por aqueles que irão utilizar uma ferramenta virtual para registrar a ideia que veio na hora, ou o trabalho de horas de produção. Perder tudo em um travamento ou em um fechamento repentino é um total pesadelo.

Neste ponto, meu conselho é: esteja atento ao que o desenvolvedor recomenda. Se o app é recomendado para uso no iPad 1 com apenas 8 pistas, não espere o milagre de gravar 32 e nunca acontecer nada de errado. Vai dar errado, acredite.

Em todos os apps testados, no iPad 2 e no iPad 4, o resultado foi o mesmo. Quanto mais recente o modelo do iPad, maior a estabilidade. Não há um grande vencedor.  A maioria se saiu muito bem nos testes. Destaco o Multitrack DAW, sólido como uma rocha em quase todas as situações. Porém, há perdedores. No iPad 2, principalmente, o Meteor e o GarageBand fecharam, do nada, quando muito exigidos. O Meteor manteve o que eu já havia feito. O Garageband, não.

Pau para toda obra

MultiTrack DAW: funciona bem em quase todos os modelos de iPad, iPod Touch e iPhone

O pequeno e leve MultiTrack DAW funciona com basicamente qualquer dispositivo iOS, até mesmo com versões mais antigas do sistema operacional. É ideal para gravações rápidas de áudio sem grandes pretensões e faz um excelente trabalho em parceria com o Audiobus, justamente por não pesar no processamento. É a melhor escolha para registros rápidos, para gravar ideias sem complicação e, definitivamente, um dos melhores parceiros do Audiobus em qualquer dispositivo iOS.

Custo x Benefício

O que o GarageBand faz por 10 reais nem precisa de comentários.

Os melhores em cada recurso e para cada finalidade

Como disse desde o início do texto, obviamente não temos ainda um DAW capaz de suprir todas as necessidades dos músicos. Mas temos os que se destacam em cada finalidade. Então, após a análise, a situação fica assim:

Melhor interface: GarageBand

timbresMelhores timbres: GarageBand

fxMelhores efeitos: Auria

audioMelhores recursos para gravação de áudio: Auria

Melhor Sampler: BeatMaker 2 e Meteor

Melhor Editor MIDI: GarageBand, BeatMaker 2, NanoStudio e Cubasis

Melhor Sequenciador MIDI: BeatMaker 2

Mais versátil: GarageBand

Mais estável: destaque para o MultiTrack DAW, empate técnico entre os demais, travamentos com GB e Meteor no iPad 2.

Pau para toda obra: MultiTrack DAW

Por utilização:

Gravação de vozes, instrumentos elétricos e acústicos: Auria

Produção de música eletrônica: NanoStudio e Beatmaker 2. Usuários do FL Studio no PC poderão se beneficiar do app iOS.

Para trabalhar com timbres de outros apps iOS via Audiobus: Cubasis, GarageBand, BeatMaker 2 e MultiTrack DAW

Para mesclar timbres de instrumentos reais, timbres próprios e sons de apps iOS via Audiobus: BeatMaker 2 e NanoStudio

Gravar áudio e contar com timbres internos bonitos, sem nenhuma necessidade de configuração especial: GarageBand

Para começar no iPad e terminar no computador: GarageBand, FL Studio e Cubasis. Estes apps permitem exportar facilmente os projetos gerados no iPad para as suas versões no computador, facilitando e muito a finalização do trabalho com recursos mais complexos dos softwares mais potentes.

Chegamos ao fim da comparação entre DAWs para o iPad! Espero que o texto, mesmo não sendo capaz de tirar todas as dúvidas, tenha auxiliado a entender onde cada aplicativo pode se sair melhor e qual deles será a melhor opção para aquilo que você deseja fazer.

Por fim, fica a dica: você não precisa necessariamente escolher apenas um para realizar um trabalho do início ao fim. Com o Audiobus e o recurso de copiar e colar áudio, mover o áudio de um app para o outro no iPad nunca foi tão simples!  Praticamente todos (exceto GarageBand e MultiTrack DAW) permitem a utilização no slot de entrada do Audiobus, por exemplo. Experimente e conte seus resultados nos comentários do post!

Ah, já está no ar também o segundo episódio do Vlog MusicApps! Esta semana, apresento a interface e alguns recursos destes aplicativos da matéria. Não deixe de conferir.

Links para os apps citados no post na App Store brasileira:

GarageBandCubasisAuriaBeatMaker 2NanoStudioMultiTrack DAWMeteor Multitrack RecorderFL Studio HD

Enquanto esta matéria estava sendo preparada, a IK Multimedia anunciou o lançamento de mais um DAW para o iPad, só que desta vez dentro de seu famoso aplicativo Amplitube. O Amplitube Studio oferece recursos de DAW, como gravação muti pista e edição de áudio. Mais informações aqui.

Curta e compartilhe!