Transformando o iPad em um estúdio de gravação portátil

No mês de agosto, o site Macworld publicou um ótimo artigo de Andrea Pejrolo contando suas experiências ao transformar o iPad em um estúdio de gravação portátil. Ele decidiu realizar a seção de gravação completa de uma cantora/compositora de Nova Iorque utilizando somente o iPad para gravar voz, instrumentos, mixar e masterizar. O texto original (em inglês) pode ser lido aqui, mas irei comentar alguns pontos muito interessantes levantados pelo autor.

A escolha do iPad e as expectativas

O que Andrea indica é realmente o mais recomendável atualmente. Quem deseja gravar com certa tranquilidade com o iPad, deve fazer isso usando, pelo menos, o iPad 4 (tela retina). Se for possível, trabalhar com iPad Air ou com o iPad Mini com tela retina será uma opção ainda melhor. Tudo por conta do processamento. Esses modelos são muito superiores às gerações anteriores. Sempre é bom lembrar também do armazenamento! Gravar vários projetos em um iPad com 16gb pode dar muita dor de cabeça. No Brasil, não temos a opção do modelo com 128gb. Então, a melhor recomendação é adquiri o iPad com 64gb.

Sobre as expectativas, outro ponto que concordo completamente: se você quer uma ferramenta capaz de gravar, em vários canais e em qualquer lugar, o iPad é uma ótima escolha. Até mesmo editar seu trabalho poderá ser feito em locais inusitados, como mostra a foto abaixo.

Porém, tentar comparar a experiência de gravação do iPad com aquilo que podemos conseguir usando um desktop ou notebook e um excelente DAW pode ser bastante frustrante. A música no iPad tem 4 anos de vida. Música com computadores tem mais de duas décadas. As ferramentas dos softwares de produção musical para o computador e a realidade do hardware são superiores. São dois métodos que devem ser pensados de formas independentes.

Escolhendo a Interface e o App Musical certo para cada atividade

A maioria dos apps de produção musical para o iPad apresenta em seus sites alguma lista de interfaces de áudio compatíveis. Para quem pretende gravar com mais de um canal ao mesmo tempo, é muito importante investir em uma boa interface. Apogee, Focusrite, Tascam, Roland e outras já oferecem excelentes opções compatíveis com o iPad.

Em seus processos de gravação, Andrea Pejrolo geralmente opta por fazer todo o trabalho de pré-produçãono Cubasis, preparando bases e harmonias com instrumentos virtuais. A interface do Cubasis para MIDI e sua implementação do recurso Inter-App Audio são excelentes.

[app 583976519]

Após finalizar o trabalho no Cubasis, o projeto é exportado em tracks separadas para o Dropbox e a gravação do áudio parte para o Auria, app que oferece excelentes plugins para edição de áudio. Na minha opinião, é a melhor opção atual para gravação de áudio com o iPad.

[app 524122834]

A pós-produção foi realizada no ótimo Final Touch, app dedicado à masterização.

[app 823605276]

Confira o resultado.

Dicas para uma gravação feliz

No artigo, Andrea Pejrolo dedica um espaço à ótimas dicas para um trabalho de gravação menos penoso com o iPad:

  1. Maximize a duração da bateria: carregue o iPad completamente antes de começar a gravar e desligue Wi-Fi e Bluetooth. Reduza o brilho da tela o quanto possível.
  2. Reinicie o iPad antes de começar a gravar. Isso irá remover alguns apps e tarefas não relacionadas à gravação que podem estar ocupando processamento.
  3. Feche todos os apps não relacionados à gravação. Pressione duas vezes o botão home e deslize para cima cada janela de aplicativo não utilizado na gravação para fechá-lo.
  4. Ajuste o bloqueio automático para “Nunca”: Ajustes -> Gerais -> Bloqueio Automático -> Nunca.
  5. Use bons pré-amplificadores e microfones: a qualidade de microfones e interface de áudio será determinante no resultado.
  6. Local, local e local: o espaço onde é realizada a gravação tem grande impacto no som do resultado final. Se não for possível usar um estúdio, tente pelo menos trabalhar em ambientes mais silenciosos.

Se for possível, não deixe de conferir o artigo original na íntegra. Há outros detalhes por lá que podem ser valiosos para aquilo que você pretende fazer na hora de gravar com o iPad.

Curta e compartilhe!