Em Foco, Matérias, Notícias, Outros Dispositivos, iPad

Korg iMS-20 X Korg MS-20 mini: pode o app para iPad soar como o sintetizador analógico?

Marcus Padrini abril 15, 2014 2 Comments »

Recentemente, passei a contar com o ótimo Korg MS-20 mini, a recriação do sintetizador analógico MS-20 (lançado no final da década de 70), cerca de 15% mais compacto, mas trazendo todo o circuito e componentes do modelo original. Espalhados pela internet, há vários vídeos de pessoas comparando os timbres gerados pelo MS-20 mini e por seu modelo clássico. O Mini foi muito elogiado. Porém, minha maior curiosidade era sobre um outro teste: como o app musical iMS-20 pode ser comparado ao instrumento analógico? Ele soa semelhante? É apenas um brinquedo? Decidi tirar a prova.

Em tempos de internet, com a informação surgindo de todos os lados, é bom ter cuidado antes de tirar conclusões baseadas em vídeos do YouTube. Muitas vezes, testes como este são realizados por pessoas que podem não conhecer muito bem o aplicativo ou o instrumento real. Algumas vezes, a comparação é feita por alguém que nem mesmo sabe o básico sobre sintetizadores digitais ou analógicos.

Uma verdade sobre os analógicos: estes instrumentos costumam ser únicos. Mesmo sendo produzidos em série, é comum identificarmos comportamentos ligeiramente diferentes entre duas unidades de um mesmo modelo. É a natureza da tecnologia.

E aí, nosso teste precisa responder duas perguntas: o iMS-20 se comporta como o MS-20 mini? O iMS-20 é capaz de soar semelhante ao MS-20 mini? São coisas bem diferentes.

Timbre criado no MS-20 mini

Vamos começar respondendo à primeira. A resposta é não. O iMS-20 não se comporta como o MS-20 mini. E não é algo entre o app e a unidade analógica que estou testando. São grandes diferenças de comportamento em módulos fundamentais.

Antes de apresentar os detalhes, observe este vídeo. Criei um timbre no MS-20 mini e decidi reproduzir todos os ajustes no iMS-20 para ouvir como ele soaria. Ficou muito diferente. Depois, com um pouco de trabalho e ouvido, fiz alguns ajustes no filtro e nos geradores de envelope do iMS-20. Ouçam se a situação melhorou.

Isto responde nossa segunda pergunta. O iMS-20 é capaz de soar semelhante ao analógico, porém usando ajustes ligeiramente diferentes. Na maioria das tentativas, consegui criar no iMS-20 sons muito parecidos com os timbres gerados pelo analógico.

iMS-20 com configurações copiadas do MS-20 mini e depois com timbre ajustado.

Ouvindo as semelhanças e diferenças

Enquanto as formas de onda são bastante semelhantes, o comportamento dos filtros e geradores de envelope são muito diferentes.

Ouça o comportamento do filtro Low Pass abrindo e fechando com diferentes ajustes de ressonância.

Bem diferentes, não? O comportamento apresentado pelo filtro do iMS-20 com 50% de ressonância só é obtido pelo mini com ajustes bem superiores. Isto não é ruim. É apenas diferente.

As formas de onda de ambos são semelhantes, mesmo quando trabalhamos com Ring Modulation e Pulse-Width Modulation.

Mas, quando tratamos de comparar o efeito do módulo Sample & Hold no comportamento do filtro, as diferenças ficam bem evidentes. O MS-20 mini soa muito mais orgânico e agressivo, sem a característica tão brilhante apresentada pelo iMS-20.

Diferenças que não podem ser ouvidas

Quer dizer então que o MS-20 mini, que custa cerca de 2.500 reais no Brasil, praticamente não oferece vantagens em relação ao iMS-20 para iPad, vendido por cerca de 65 reais? Não, não é verdade.

O MS-20 mini é analógico, assim como todos os seus knobs. O que você faz nas teclas e controles é refletido no timbre imediatamente. Não há latência. Mesmo a sequência mais rápida de notas soará com uma naturalidade absurda. O iMS-20 é um software. Também foi um dos primeiros mais complexos para o iPad. O app apresenta alguma latência mesmo nos iPads mais modernos. Não chega a incomodar muito, mas é possível percebê-la, principalmente quando comparamos o digital com o analógico.

O mini pode interagir com outros equipamentos analógicos e com diferentes fontes de áudio, graças à sua estrutura semi-modular. É possível ligar um microfone ou guitarra ao sintetizador e utilizá-los de diversas formas, incluindo o controle de gate e pitch do sintetizador. Este recurso não está presente no iMS-20.

O MS-20 mini apresenta um roda de modulação com centro definido. Quando você move o controle, ao chegar no meio, há um travamento bem sutil, mas fundamental para demonstrar que aquela é a posição do meio. Isto possibilita usar a roda de modulação como controle de pitch bend de forma muito agradável. Não há uma mola, como na maioria das rodas de pitch bend, mas não é nada impossível de usar. No iMS-20 não há nem mesmo a marcação desta posição central do controle.

Por fim, vale citar algo mais óbvio, desta vez beneficiando o iMS-20. O app traz recursos que não podem ser encontrados no synth analógico, como efeitos diversos, módulo de bateria, sequenciador, possibilidade de criação de tracks completas, gravação de presets, etc.

Conclusão

Não menospreze os apps musicais para o iOS. O iMS-20 é realmente um excelente sintetizador para iPad. Mesmo não se comportando como o iMS-20 em seus ajustes de filtro e envelope, o app consegue, na maioria das vezes, se aproximar da sonoridade do analógico.

Tentar criar no iMS-20 os sons apresentados no manual do mini, ou reproduzir no mini os presets do iMS-20 é perda de tempo. Eles não soarão da mesma forma usando os mesmo ajustes. Porém, com alguns acertos, principalmente no filtro, é possível conseguir resultados bem legais.

O MS-20 mini ainda vale a pena? Com certeza, sim! É a recriação de um clássico, é analógico, é semi-modular. Processa fontes de áudio, pode interagir com outros instrumentos, possui entrada MIDI, etc. É um excelente sintetizador. E, em alguns casos, principalmente com as modulações analógicas, o MS-20 mini soará de uma forma muito peculiar, sendo pouco provável a reprodução do timbre e todos os seus detalhes via software.

KORG iMS-20 (AppStore Link) KORG iMS-20
Desenvolvedor: KORG INC.
Preço: USD 29.99
Baixar na App Store!


Posts Relacionados

2 Comments

  1. Edson Caetano abril 15, 2014 at 9:36 pm - Reply

    Grande Padrini, fez algo que queria fazer a tempos, mas me faltaram fontes sonoras, no caso o Original e o míni… Tenho em casa o Kronos que tem o MS-20ex, uma das 9 engines deste key, a muito tempo tenho o pacote Korg Legacy que também tem um MS-20 em VST e claro o iMS-20, por muito tempo quis fazer esta comparação com o Original e agora o seu relançamento

    Deu vontade de ampliar este comparativo para todas as 5 fontes do MS-20 que eu tenho conhecimento

    Muito bom, e parabéns pelo seu míni, me parece ser algo recente em seu set… Até mais

    • musicapps abril 16, 2014 at 11:19 am - Reply

      Ei, Edson! Realmente seria ótimo poder comparar todas estas versões do MS-20. Depois vou tentar criar o mesmo timbre com o nintendo DS. Será curioso se soar semelhante. Abs!

Leave A Response


6 − = três