Notícias, Outros Dispositivos

Como atualizar um “app musical” há 12 anos

Marcus Padrini abril 28, 2014 No Comments »

Já faz parte da rotina. Uma hora qualquer do dia ou da noite, você abre o aplicativo App Store, em seu iPad e iPhone, e lá estão as atualizações mais recentes para seus instrumentos virtuais favoritos e outros títulos. As novas versões corrigem erros, trazem novos recursos e estão a um toque dos dedos.

Do lado do hardware, os instrumentos digitais reais, principalmente sintetizadores, chegam com uma espécie de programa (firmware) gravado em um chip. Ele é responsável por comandar aquele hardware,  controlando a geração de sons, gerenciando presets, etc.  Hoje, a maioria pode ser atualizada via USB, baixando uma nova versão do firmware pela internet.  Mas nem sempre foi assim.

Interface MIDI para atualizar Firmware

Antes da popularização do USB, bem antes de iPads e iPhones, o processo de atualização de firmware acontecia de uma forma um pouco mais “rústica”. Muitos sintetizadores eram (alguns ainda são) atualizados através da conexão MIDI.

Arquivos para atualização de firmware de sintetizador

O processo, bem mais lento do que os atuais, exige um computador com aplicativo MIDI, ou hardware sequenciador, e o envio de diversos arquivos MIDI que constituem a nova versão do firmware.

Software MIDI para envio e recebimento de arquivos para instrumentos

Alguns fabricantes entendiam que o procedimento era um pouco chato e decidiam oferecer algo em troca no final. É o caso desta comemoração do sintetizador Roland SH-32, lançado em 2001, após a atualização de firmware.


Posts Relacionados

Leave A Response


− 3 = cinco