Michael KCM300: teclado controlador MIDI USB compacto para PC, Mac e iPad (Review)

Michael KCM 300

Teclados Controladores MIDI USB mudaram a maneira de se fazer música em estúdios profissionais e home studios. Compactos, sem timbres e muito mais acessíveis do que os teclados tradicionais, eles são ideais para comandar os instrumentos virtuais de desktops, notebooks e até mesmo do iPad.

São muitos os modelos disponíveis: com teclas pesadas, teclas normais, mini teclas, muitos knobs, nenhum knob, faders motorizados, etc. Porém, conheço diversos músicos que precisam apenas de algumas teclas para poderem gravar suas linhas de baixo, acordes e solos, e não estão muito dispostos a investir muito em um controlador mais caro e cheio de recursos que nunca serão utilizados. É exatamente neste público que a Michael pensou ao lançar o controlador Michael KCM300.

Michael KCM 300

Com 37 teclas sensíveis à velocidade, sem knobs, faders e rodas de modulação, o KCM é leve, compacto e pode ser uma boa opção para quem precisa apenas de algumas oitavas para facilitar a produção musical no home studio ou, em qualquer lugar, com o iPad. Recebi o KCM 300 da Michael para review e conto agora as minhas impressões sobre este pequeno controlador.

Construção e alguns detalhes

Michael KCM 300

O Michael KCM300 é um controlador simples e objetivo. Construído em plástico, é bastante leve e compacto. Suas 37 teclas (3 oitavas) são de tamanho real e sensíveis à velocidade. A ação e o formato são muito semelhantes aos dos teclados da série UMX da Behringer. São teclas mais largas e retas do que as que geralmente encontramos nos demais controladores.

Sua construção sugere a utilização em home studio. Como boa parte dos controladores compactos, o KCM300 não é um tanque de guerra para ser utilizado em qualquer lugar sem algum cuidado.

O controlador não apresenta faders, knobs, nem mesmo rodas de picth bend e modulação. Há apenas dois pequenos botões na parte traseira, destinados à mudança de oitavas. Também não há porta MIDI padrão. A única conexão disponível é a porta USB.

Por ser tecladista, obviamente senti falta das rodas de pitch e modulação. Mas, como disse no início, conheço vários músicos que precisam apenas das teclas para as suas produções.

KCM300 chega com apoios laterais opcionais (Foto: Divulgação Michael)

Como é possível notar na foto de divulgação do produto (acima), o KCM300 chega com 2 apoios que funcionam como pés para o controlador. Eles podem ser usados para posicionar o instrumento por cima do teclado do computador, por exemplo. A utilização dos acessórios é opcional.

Compatibilidade

Michael KCM 300

O KCM300 é compatível com PCs e Macs sem a necessidade de instalação de drivers, sendo conectado e alimentado via USB. E, exatamente por este motivo, também funciona muito bem com o iPad, sendo inclusive alimentado pelo tablet, através do acessório Camera Connection Kit.

Michael KCM300 e GarageBand

Justamente para ilustrar esta compatibilidade com o iPad, fiz um pequeno vídeo de demonstração do Michael KCM300 com o iPad 4 e o app GarageBand. Estou usando, para realizar a conexão, o adaptador lightning para 30 pinos e o Camera Connection Kit.

Pela simplicidade do projeto, não há escolha de canais MIDI ou outras configurações no KCM300. Ação das teclas e canal MIDI precisam ser configurados no instrumento virtual ou software musical de sua preferência.

Testei o KCM 300 com diversos instrumentos virtuais, como o SampleTank para o Mac, e tudo funcionou conforme o esperado.

Disponibilidade e preço

O Michael KCM300 pode ser encontrado em algumas lojas virtuais na internet, como a Estrela 10, e também no Mercado Livre (sempre opte por vendedores que são empresas e que emitem nota fiscal). A faixa de preço varia de 265 a 350 reais, o que é interessante por estarmos falando de 37 teclas de tamanho real. Outros instrumentos na mesma faixa inicial de preço apresentam apenas 25 teclas, ou as polêmicas mini teclas.

Atualizado em 28/05/13: Alguns leitores perguntaram sobre a divergência entre as fotos do review e a foto de divulgação do fabricante. O modelo que testei tem, como primeira tecla, um Fá, enquanto a foto de divulgação apresenta um Dó. Confirmei com a Michael e a empresa me informou que houve um lote mais antigo do produto, já esgotado,  em que os teclados começavam com a tecla Dó. Atualmente, o produto que está no mercado tem como primeira tecla o Fá. Ambos tem o mesmo número de teclas: 37.

Conclusões sobre o teclado controlador Michael KCM300


O controlador Michael KM300 é um teclado simples e objetivo. Com 37 teclas, em tamanho real e sensíveis à velocidade, mas sem controles como knobs, faders e rodas de pitch e modulação, é uma opção para quem precisa apenas das teclas e não quer investir muito. Seja como teclado adicional no setup, seja como único teclado em frente ao computador, o KCM300 irá ocupar muito pouco espaço e poderá ser bastante útil.

Seu ponto alto, além do tamanho compacto e da alimentação via USB, é a compatibilidade: funciona com Macs, PCs e iPad, sem a necessidade de instalação de drivers.

Ele não é o teclado recomendado para quem irá estudar o instrumento, nem deverá ser o principal controlador no palco, mas pode muito bem ser um complemento para o setup ou ajudar músicos, inclusive os que não tem o teclado como instrumento principal, a produzirem seus trabalhos no computador.

MusicApps sobre o Michael KCM300

Construção e Durabilidade [Rating:3/5]
Facilidade de utilização: [Rating:4/5]
Portabilidade: [Rating:5/5]
Compatibilidade: [Rating:5/5]
Profissional: [Rating:2.5/5]
Preço: [Rating:4/5]
Geral: [Rating:3.9/5]
Curta e compartilhe!