Mac, Notícias, iPad

iPad mini, iPad 4 e novo iMac: considerações musicais após evento da Apple

Marcus Padrini outubro 24, 2012 5 Comments »

ipad mini

Como você deve ter acompanhado, ontem a Apple anunciou alguns lançamentos, sendo o principal deles um novo modelo de seu tablet: o iPad mini. Contrariando depoimentos de Steve Jobs no passado, o tablet finalmente recebeu a tão comentada versão com tela de 7.9 polegadas.  Para os músicos, o que o iPad mini poderá significar? Talvez não muito, dependendo do uso.

Se o lançamento do iPad mini não surpreendeu, suas especificações de hardware também não são destaque. O novo modelo possui o mesmo processador e também a mesma resolução do iPad 2.  Ou seja, ele oferecerá o mesmo desempenho de seu irmão mais velho e maior.

Por outro lado, há dois pontos que precisam ser comentados. Custando 329 dólares, há possibilidade do gadget ser vendido no Brasil por menos de 1.000 reais, o que, teoricamente, poderá contribuir para a sua popularização, inclusive entre os músicos. O outro aspecto é justamente seu tamanho. Se por um lado perdemos área na boa tela do iPad tradicional, por outro ganhamos um tablet que uma das mãos pode segurar com conforto e boa pegada. Isto pode ser interessante para se apresentar ao vivo com o tablet, ou para utilizá-lo como módulo de timbres ou processador de efeitos. Mais compacto e mais leve, o tablet será ainda mais fácil de carregar, além de mais discreto.

Já do lado negativo, temos a manutenção do hardware do iPad 2, como comentado anteriormente, e também a implementação do conector lightning, substituindo a porta dock, conexão para qual boa parte dos acessórios musicais para o tablet foram construídos.

Um adaptador poderá ser usado para garantir a compatibilidade com esses acessórios e, além disto, é questão de tempo até que os fabricantes se adaptem à nova conexão. De dota forma, é mais um adaptador e eu acho que ninguém fica muito feliz com eles.

O novo iPad, de novo

Por esta, ninguém esperava. Principalmente os compradores do iPad 3, conhecido, até a manhã da última terça, como “Novo iPad”. Tim Cook apresentou o novo iPad, de novo. A quarta geração do tablet chega 6 meses após o lançamento do último modelo, que desembarcou há pouco nas lojas brasileiras.

O que justifica este lançamento? Talvez, nada mais do que o alinhamento com os demais produtos da empresa, incluindo, por exemplo, o conector lightning ao tablet.

Para quem não está pagando a segunda ou terceira parcela do modelo anterior, o iPad 4 traz boas novidades para a música. Seu novo processador A6X promete ser até 2 vezes mais rápido que o anterior, mesma promessa de desempenho do novo processador gráfico.

O novo iPad, iPad 4, iPad Retina, ou qualquer outro nome como a Apple queira chamá-lo, será vendido pelo mesmo preço do modelo anterior. Um detalhe: o iPad 3 já desapareceu da Apple Store americana e também está sendo substituído pelo novo modelo nas lojas físicas da empresa. Que vida curta, não?

O novo iMac fininho e reajustado

Finíssimo! Nenhuma palavra poderia ser melhor para descrever o novo modelo do desktop da Apple. O novo iMac foi o lançamento mais surpreendente do evento e, como muitos disseram, realmente se assemelha a um iPad gigante com uma base. O novo iMac é muito bonito e recebe uma série de melhorias de hardware, incluindo um sistema capaz de utilizar, de forma simples para o usuário, o HD convencional e memória flash.

A impressão era a melhor possível e já até considerava me planejar para adquirir esta versão no futuro, vendendo o iMac mais antigo que possuo. Isto durou até ver novo preço do novo iMac. Um reajuste de respeito: de 3.999 reais para 6.200 o modelo de entrada. Mais de 2 mil reais de diferença para quem for comprá-lo no Brasil.

Desktop de entrada da Apple por 6.200 reais. Só eu achei absurdamente caro?

Após o evento, o iPad continuará sendo a melhor ferramenta existente para a música móvel, seja em sua versão tradicional ou compacta. Fico na torcida para que não tenhamos um iPad 5 daqui a 3 meses. Se tivermos, que ele ao menos não seja reajustado como os iMacs.  Também quero observar como fabricantes de acessórios musicais como Apogee e IK Multimedia irão se comportar após estes lançamentos.


Posts Relacionados

5 Comments

  1. Adorotecnologia outubro 24, 2012 at 3:47 pm - Reply

    Acho que tanto a Apogee quanto a IK não ficaram felizes. Acho até que a Apple está se queimando com tudo isso e pode refletir no futuro de adaptadores para eles.

  2. Alexandre Cunha outubro 24, 2012 at 5:16 pm - Reply

    Realmente o iMac foi uma facada. Também pensava em comprar um, mas depois do preço divulgado, sem chances… Quero ver mesmo o lançamento do Surface amanhã, quem sabe pode ser uma outra boa notícia para os músicos…

  3. caiomanza outubro 25, 2012 at 8:09 am - Reply

    Complicado isso.. possuo um iphone 4, ipad "3" e um iMac. alem do novo conector nos ipads/iphones novos, ainda percebi a total substituição da porta firewire 800 pela thunderbolt… possuindo o iRig MIDI e uma série de interfaces firewire em meu estúdio, ficaria totalmente inviável atualizar os equipamentos.

    Achei uma jogava muito arriscada da apple.

  4. Rogermusic outubro 27, 2012 at 12:56 am - Reply

    Como já havia dito, fica uma sensação de que o "iPad3" foi um erro que nem deveria ser lançado… Só para garantir mercado…
    Gente que como eu comprou o "novo" ficamos, no mínimo, chateados rs
    Quanto aos outros lançamentos, maravilhosos.

    A nota triste é ver os preços no Brasil ficarem proibitivos… Acho que vou ficar com meu iMac ainda um tempinho…

  5. Blues Overdrive dezembro 6, 2012 at 9:41 am - Reply

    Eu que pensava em comprar um Mac mini a vista por R$1600 tive a surpresa com o modelo novo que foi para R$2250 a vista com 10% de desconto, R$750 a mais… nem fu$%%¨ndo que vou pagar. iMac a mais de R$6mil..vai apodrecer na loja tb.

    Sobre iPad 3 eu tenho, mas não acho que tenha sido um erro, a tela de retina é muito boa. E no momento meu JAM conecta direto sem o novo adaptador nojento lightning BS :)

Leave A Response


seis × 4 =