O Novo iPad para se fazer música: vale a pena?

O Novo iPad

Recentemente, recebi diversos e-mails de leitores perguntando o que diferencia o Novo iPad dos seus modelos anteriores para se fazer música. Apesar de já ter experimentado o novo modelo, ainda não possuo o Novo iPad e nem sei se chegarei a comprar um. O motivo da dúvida eu explico agora neste post.

Desde sua apresentação, o Novo iPad foi caracterizado pela Apple como a grande evolução (ou revolução) em termos de resolução de imagem em um tablet. De fato, sua tela, com o dobro da resolução e 4x mais pixels em relação ao modelo anterior, é superior e possui definição capaz de impressionar.  O grande poder de fogo atribuido ao Novo iPad, porém, sempre está relacionado a jogos, vídeos e fotos.

Mas e para os apps musicais, o que mudou? Aparentemente, nada. Em conversa com alguns desenvolvedores, pude perceber que, se por uma lado o iPad ganhou processador gráfico superior e mais memória RAM (1GB), por outro, estas mesmas novidades parecem ficar ocupadas demais em cuidar de todo o poder gráfico do novo tablet.

Vale dar uma olhada neste comparativo de performance. O iPad 2 é o preto e o Novo iPad, o branco. Observe como o Novo iPad se destaca apenas nas aplicações de gráficos mais complexos. O iPad 2 teve desempenho melhor em vários casos.

Até o momento, não tenho notícia de nenhum aplicativo musical que se destaca rodando no Novo iPad, em comparação à performance do mesmo título no iPad 2. Os apps musicais atualizados recentemente receberam apenas ajustes de resolução para o Novo iPad. E, por falar em iPad 2, o modelo continua sendo vendido na versão wi-fi com 16 GB e agora conta com uma vida útil da bateria um pouco maior.

Na minha opinião, continua valendo aquela velha máxima da atualização de produtos da Apple: dá para ser feliz saltando sempre um modelo entre uma compra e outra.

O Novo iPad será excelente para quem comprou apenas o iPad 1 ou está adquirindo um iPad pela primeira vez. Para os músicos que já possuem o iPad 2, o investimento só se justifica se a qualidade da nova tela fizer diferença para outras aplicações além da música.

Tratando-se exclusivamente de apps musicais, o Novo iPad e o iPad 2 são praticamente equivalentes. Talvez possa existir alguma diferença na hora de trabalhar com vários apps em plano de fundo, devido ao aumento da memória RAM. Porém, nada disto foi confirmado até o momento.

Por enquanto, ficarei somente com meus iPads 1 e 2. E você? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

Curta e compartilhe!