Matérias, Notícias, iPad, iPhone/iPod Touch

Ensaio com tecnologia: VSTis, iPad, iRig Mic e mais

Marcus Padrini março 5, 2012 24 Comments »

Como disse em algum dos últimos posts do MusicApps, o lado bom de não termos tantos lançamentos de aplicativos musicais e acessórios nas últimas semanas é a possibilidade testes com o que já existe. E tenho utilizado bastante as novidades que comento por aqui em todas as oportunidades relacionadas à música. Um dos melhores locais para avaliar aplicativos e equipamentos é justamente nos ensaios.

Com a banda Dogma, exploro bastante o que a tecnologia pode me oferecer. Como o estilo é algo próximo do rock progressivo instrumental, há a necessidade de dezenas de timbres de teclados por música. No passado, sei que a banda costumava tocar com dois tecladistas e muitos teclados espalhados pelo palco. Algumas músicas não podiam ser executadas ao vivo, justamente por conta da limitação dos instrumentos. Isto mudou com o computador, instrumentos virtuais e controladores.

Trabalho com um notebook Dell com configuração modesta para os dias atuais (Core 2 duo, com 3 Gb de RAM), mas totalmente preparado para o trabalho exclusivo com áudio. Ele o o software BrainSapawn Forte dão conta de todos os VSTis que utilizo para o Dogma. São mais de 20 instrumentos virtuais no rack do Forte, incluindo sintetizadores, pianos acústicos e elétricos, hammond e muito mais. Para garantir a baixíssima latência, além de um computador bem configurado, é bom contar com uma boa interface de áudio USB. Eu uso a UA-25ex da Edirol, que agora leva a marca da Roland, mantendo o modelo.

Uso três controladores: um M-audio de 88 teclas, o Edirol PCR800, com 61, e um CME UF5, de 49. Dois são ligados ao computador e o último à porta MIDI da interface de áudio Edirol. Como os instrumentos virtuais e o software Forte permitem dividir os teclados como você desejar, conto com 198 teclas para distribuir os instrumentos que desejar, com quantas mudanças quiser, em cada música do repertório.

E onde está o iPad nisso tudo?  O tablet da Apple está bastante presente na hora de tentar coisas diferentes em algumas músicas. O Geo Synthesizer é presença obrigatória, seja com seus próprios timbres, ou controlando aplicativos como o SampleTank.

Atualmente, o iPad deixou os ensaios ainda mais práticos. Como toco flauta transversal, preciso microfoná-la e é fundamental contar com alguns efeitos como delay e reverb. Até pouco tempo, a escolha era trabalhar com uma mesa de som com efeitos, exclusiva para a finalidade. Também já usei racks e pedais de efeito. Hoje, tudo foi substituído pelo iPad ou iPod Touch trabalhando com o iRig Mic e os apps Vocalive ou GarageBand. Ambos apresentam baixa latência e bons efeitos e são excelentes para a minha necessidade em ensaios.

Outro detalhe legal é que posso tocar com qualquer app musical do iPad enquanto utilizo o iRig Mic e o Vocalive para processar o som da flauta.

Para ouvir tudo isso bem, montamos uma configuração com 4 caixas de som apenas para os teclados e flauta. Uma caixa para graves, uma para médios e dois combos CM-30 da roland para a definição de médios e agudos.

Como a banda possui local de ensaio próprio, hoje o que carrego para o ensaio é basicamente uma mochila com notebook, iPad e flauta transversal. Os controladores já ficam por lá e o processo de montagem não leva mais do que 5 minutos.

Se você também substituiu equipamentos mais tradicionais por novas tecnologias, conte nos comentários abaixo como eles mudaram a sua experiência em casa, nos ensaios e show.  :)


Posts Relacionados

24 Comments

  1. @BladeDantas março 5, 2012 at 1:59 pm - Reply

    Eu uso o iPad2 mais o Alesis iOdock quando ligados ao teclado e a minha guitarra e ao microfone (sou flautista também, Marcus).
    Como não necessariamente eu uso todos os instrumentos na mesma música, eu consigo me virar.

    Ou eu uso o iOdock para o teclado e a flauta e um macbook white com uma interface Roland DuoCapture para a guitarra e uso Plugins para efeitos.

    Abraços!

  2. Saimon março 5, 2012 at 10:35 pm - Reply

    Show ainda não, mas já usei o ipod com igog para acompanhar amigos nas rodas de violão. No ipad o geosynth na mesma roda de violão para tocar dedilhados de músicas famosas e o próprio ipad como cola para as cifras heheh

    Em casa uso o ipad ligado ao controlador behringer umx 610 pelo camera connection kit com o music studio e ims-20, e o ipad ligado ao pc para gravação e amplificação. Para guitarra uso o irig e um fender mini deluxe md – 20 com uma guitarra ibanez g-10.

    Aproveitando o não lançamento de programas estou aprendendo a configurar o animoog, aperfeiçoando a técnica no geosynth e experimentando música eletrônica com o ims – 20 http://soundcloud.com/saimon-brum/dazzered, que tem muitos botões por sinal, mas é bem completo. Também andei dando uma olhada no rebirth.

    • musicapps março 6, 2012 at 1:18 pm - Reply

      Saimon, muito bacana! Sempre que puder, não deixe de compartilhar as faixas que você criar em nosso grupo do soundcloud! Abraços!

  3. Norberto França março 6, 2012 at 10:28 am - Reply

    Legal Marcus!
    Eu não diria que substitui meus equipamentos tradicionais por novas tecnologias e na verdade não pretendo fazer isso. Pra mim a opção é sempre unir o melhor dos 3 mundos hehehehehe… Sou amante dos instrumentos clasicos vintage,synths e tecnologia musical, então ter um Piano Eletrico real,um Moog Analógico,synths ,simuladores de hammond e também o Main Stage 2(apple) iPad etc… além de um som diferenciado também posso ter a praticidade quando preciso .

    Hoje assim como você com o Forte,tenho até segurança no Main Stage 2 pra usar somente ele como gerador de som caso precise, mas sendo muito sincero Eu não teria o mesmo prazer ao tocar,pois cada um funciona de uma forma e tem suas características.

    Mas é isso,todos esperávamos por essa confiança nas máquinas e na praticidade que elas nos oferecem…

    Abração.

    • musicapps março 6, 2012 at 1:17 pm - Reply

      Norberto, concordo totalmente que o negócio é complementar. Tenho tudo no computador e iPad, mas não abriria mão dos sons da flauta real por um sample, por exemplo, seja ele qual for. Também desejo ter um moog em meu setup em breve. E o prazer de tocar é importantíssimo!

  4. @HugoLourenco44 março 6, 2012 at 10:47 am - Reply

    Depois de vários testes em ensaios com iphone e ipad. Hj utilizo o iPad em shows. Uso o JamUp Pro junto com Apogee Jam, e quando há necessidade o iKlip. As vezes levo só o iphone para o ensaio… Mas show só com iPad. Minha próxima aquisição será o Alesis AmpDock… Aí ficará perfeito!
    Abraços!

    • musicapps março 6, 2012 at 1:15 pm - Reply

      Legal, Hugo! Depois manda algo em vídeo ou áudio para divulgarmos aqui! :)

  5. @paresq março 6, 2012 at 1:01 pm - Reply

    Muito legal Marcos…

    Já usei bastante o "Forte" e ele é o bicho, muito prático, faz trocas rápidas de presets e pode montar muita coisa bacana. Seria legal se vc postasse um video usando algumas coisas para sentirmos a temperatura da coisa :)

    Atualmente ensaio com uma banda em um projeto novo. Por enquanto ainda não uso o iPad com grooves de bateria, ou bases gravadas como Strings, Organs, etc. Uso apenas para execução ao vivo, mas em breve vamos utilizar também.

    Tenho um Set muito modesto:
    - Teclado Kurzweil SP88x
    - Korg NanoKey 2
    - Mesa behringer 10 canais FX
    - iPad 2 64gb
    - Camera Connection Kit e Line6 MidiMobilier 1.

    Como uso tudo isto ao vivo?

    Basicamente, toco meu Teclado de 88 teclas usando os Pianos Acústicos/Elétricos, Cordas, Organs, ou timbres usados para bases em geral.

    No iPad uso bastante o SampleTank e alguns outros para outras músicas específicas (GarageBand, SampleWiz, Sunrizer) conectado ao meu NanoKey2 via CKK.

    Para nosso estilo musical utilizo muitos sons de naipes de metais, então faço as bases no SP88x e os solos e frases no NanoKey2.

    Deixo o Line6 MidiMobilizer conectado no meu SP88x e para algumas músicas utilizo apenas os sons do Ipad. Desconecto o CKK e conecto o line6 do iPad.

    Em uma musica X, utilizo a grade de presets com quatro timbres carregados sendo dois timbres de metais, um piano eletrico phaser e um synt polifônico. Uso de dois em dois ex: dois timbres de metais juntos pra solar, quando vou pra base, seleciono o piano phaser + synth. Como a tela do iPad é grande e os botões de troca de timbres/preset também são, fica tudo fácil e pratico.

    Em uma música Y, utilizo a grade de presets com três timbres carregados sendo um synt com delay pra solo, um piano elétrico e um synth pad para base. No SP88x faço as bases de piano + synth pad e na tela do iPad toco o synth solo. Como o solo de synth é muito simples, utilizo os pads de bateria para tocas as notas, afinal, elas são grandes e fica ao estilo GeoSynth, podendo tocar com uma mão no teclado e outra no iPad.

    Vou gravar alguns trechos do ensaio assim que possível e mandar o video pro Marcos, espero que possa ser útil e ajude aqueles que desejam usar o iPad ao vivo, assim como eu já uso.

    Para mim hoje, sem dúvidas, o iPad é um instrumento musical.
    Abraço

    • musicapps março 6, 2012 at 1:14 pm - Reply

      Pois é. Há alguns anos uso o Forte para tudo, ensaios e shows, e nunca tive problema algum. Ele é realmente poderoso quando bem configurado. Muito legal seu relato, manda algo sim que publicarei por aqui! :)

  6. Giusoares março 6, 2012 at 8:05 pm - Reply

    No inicio de todas essas novidades, usei bastante o IRIG com amplitube no ipad, e ipod touch, funcionou de boa nem senti falta de um pedal, depois passeia a usar o ampkit link tanto com app Ampkit quanto com o amplitube.
    Depois desfrutei da entrada dock no ipad usando Guitar link + cck som limpo e cristalino otimo para guitarra e contra baixo.

    Depois comprei o alesis io dock, exelente até certo ponto, uso muito para produzir Demos registrar ensaios é bem pratico, conectar minha batera eletronica no sample tank gravar violão com mics condenser, Maso unico problema é com apps de GUITARRAS garage band, ampkit, Meteor, pocketGK, jamup pro todos eles dao problemas de RUIDOS durante um certo tempo de uso, principalmente ns distorçao, ai vc tem que fechar o app e reinicia para usar, entao nao tive boa experiencia em um som AO VIVO com o IO DOCK, só tive esse problemas com app de guitarras, ( talvez seja pela saidas altas e distorcidas que os simuladores de amp produz) nao sei qual é o problema, muitos aki e no forum e em varios forum no mundo tem reclamado do mesmo problema, mas com MIDI gravaçao de audio como no MULTITRACK DAW, é perfeito uso muito IO DOCK , menos para guitarra.

    E para poder gravar ideia de guitarras comprei a interface Guitar Jack 2 que me tem sido muiiiiiiito util nos registros de guitarra conecto a guitarra no ipodtouche gravo no ipad atravez do alesis io dock, perfeito, esses dias a cabeça do ampli do baixo queimou, e tinha uma potencia de PA no canto jogado, ligamos o contra baixo na potencia RESULTADO nao virou…. Como eu tinha meu novo guitar jack 2 conectei o bass no app pocketGK e passei pela porencia, pronto o BASS fcou FANTASTICO ficou bem equivalente ao som da cabeça do Hartcke que queimou,

    Um amigo meu ja usou o irig juntamente com app amplitube escolheu o amp bass do amplitube, e deu uma melhora significativa no timbre do baixo dele e rolou de boa no ensaio.

    E a Tascam US-800 juntamente com IPAD que tem sido muito util nos registros ao vivo e em ensaios
    Ps, gravar ensaios é muito importante para ver erros e alguns vicios musicais como levadas repetidas, falha ao tocar bateria, e guitarras… Ao escutar os audios damos ridadas com os erros que cometemos e nao percebemos porcausa do barulho no ambiente.

    Irig Mic eu uso pra fazer Making off, entrevistas video de homenagens, e outros…

    Irig mid uso somente na minha batera eletronica, para ouvir e tirar algumas musicas na bateria por equanto nao tenho teclado, mas pretendo comprar um em breve. Assim. Poderei usar mais os irigmidi.

    Equipos citados

    Ipad 2 e ipod Touch 4ªgen
    Irig – irigmidi – ampkit link – irig mic – guitar jack 2 – alesis io dock – tascam us 800 – guita link

    • Giusoares março 9, 2012 at 1:19 am - Reply

      Ios 5.1 fw, ate o momento resolveu os problemas de ruidos no ALESIS IO DOCK COM APPS DE GUITARRAS, assim diz em alguns forum gringos e o pouco teste que eu fiz, nao apresentou nehum ruido, entao esta valendo apena usar o alesis io do k para guitarra no palco, farei mais testes ao vivo, abssss

  7. Alexandre Azuma junho 17, 2012 at 1:07 pm - Reply

    Olá, Marcus! Gosto muito do seu blog e foi através dos seus rewiews que tomei decisões para compra de equipamentos. Recentemente, adquiri um irig mic, na quanta store. Percebi que o som da monitoração, com o fone ligado diretamente nele, fica mais fraco do que com o fone direto no ipad. Também aconteceu de distorcer o som de uma pista midi gravada no garageband. Isso é mesmo uma limitação do irig mic ou ele pode estar com defeito? Aguardo suas orientações. Forte abraço!!!

    • musicapps junho 17, 2012 at 8:48 pm - Reply

      Há uma diferença de ganho realmente, mas nada gritante. Sobre a distorção no GarageBand, acho que pode ter a ver com o ganho da pista MIDI mesmo. Não experimentei isto ainda com o iRig Mic.

  8. Alex Peres julho 14, 2012 at 8:45 am - Reply

    Bom dia Marcus,

    Muito legal seu blog.
    Sou vocalista e toco violão. Tenho uma mesa digital de 12 canais e utilizo o irig para aplicar efeitos no microfone convencional.
    Você acha vantagem eu adquirir o irig mic e substituir o microfone convencional? Sobretudo para apresentações ao vivo?

    • musicapps julho 15, 2012 at 8:44 pm - Reply

      Alex, com certeza o resultado será melhor do que o que vc consegue hoje com o iRig, que não é próprio para a ligação de microfones. Porém, é bom lembrar que a qualidade não será a mesma de um microfone ligado a um rack de efeitos, por exemplo.

  9. Rafael agosto 28, 2012 at 2:20 pm - Reply

    Boa tarde Marcus…..Muito legal seu blog cara….Parabens!!!
    Queria uma opinião sua a respeito do iRig.
    Tenho um microfone USB da Samson Q2U.
    Eu faço algumas gravações nele, jinges e as músicas que eu gosto de tocar. Eu toco violão e canto.
    Fica bom no garage band, mas acho que falta alguma coisa.
    Você acha que com o iRig Mic ficaria com mais qualidade as gravações?
    Obrigado.

    • musicapps setembro 1, 2012 at 1:50 am - Reply

      Rafael, obrigado! Respondendo a pergunta: não, não ficaria. O microfone USB se conecta de forma digital ao iPad ou computador, enquanto que o iRig MIC estabelece uma conexão analógica pela porta de fone/microfone do dispositivo. A gravação por meio digital sempre será melhor em relação à qualidade. Procure utilizar outros apps de gravação e trabalhe um pouco com compressores e eqs para fazer a diferença. Grande abraço.

  10. RICARDO MARTINS setembro 11, 2012 at 11:51 pm - Reply

    Oi Marcus, tenho aprendido muito com os seus preciosos ensinamentos. Tenho iRig, VocaLive e GB. Tenho tb a interface midi USB. Uso esses equipamentos junto com piano digital. Mas não consigo exportar áudio do do VocaLive para o GB e vice-versa. Você poderia me ajudar nesse sentido. Os apps são compatíveis?
    Agradeço demais a sua atensão. Não desgrudo deste endereço. Valeu.

    • musicapps setembro 12, 2012 at 9:17 pm - Reply

      Na verdade é pq o vocalive ainda não permite fazer isso, infelizmente. No momento a opção é enviar a gravação por e-mai, abrir o arquivo no multitrack daw ou outro editor de áudio e de lá exportar para o garageband, copiando e colando.

  11. RICARDO MARTINS setembro 13, 2012 at 9:43 am - Reply

    Muito obrigado Marcus. As suas dicas e comentários são sempre muito enriquecedores. E olha, comprei o Irig por conta da sua avaliação e comentário. Por sinal uma ótima recomendação. Grande abraço e obrigado, amigo.

    Ricardo Martins

  12. Kadu Nascimento fevereiro 16, 2013 at 11:37 pm - Reply

    Ola Marcus e a galera presente in site, sou novato por aqui mas ja venho acompanhando alguns posts e me identifico bem com o tema abordado, no meu set uso o macbook pro com o MainStage, placa de audio Fast Track pro da m-audio controlador estou usando o impulse 61 da Novation e um piano digital rd700 gx da roland, na voz estou usando o iphone 4s juntamente com o irig mic com o vocalive, Marcus, o seu irig mic apresenta ruído?

    • musicapps fevereiro 18, 2013 at 12:21 am - Reply

      Apresenta baixo ruído, característico da entrada de microfone destes dispositivos. Mas é algo bastante aceitável para ao vivo, por exemplo.

  13. Melque nascimento abril 13, 2015 at 12:48 pm - Reply

    Mano enho dois controladores um umx610 e um m-audio key é um. iPad eu uso o umx610 ligado ao iPad e o m-audio ao notebook mas gostaria de saber se seria possível continuar usando o umx6010 no iPad e usar apenas os kenobs do umx para trocar os. Efeitos do m-audio seria possível se for com. Desde já obrigado

    • musicapps abril 14, 2015 at 12:50 am - Reply

      Não deu pra entender quase nada da sua mensagem. Deve ser o corretor. Se puder explicar de novo… Abs

Leave A Response


+ 9 = treze