Notícias, iPad, iPhone/iPod Touch

Ostinato for 8 iPods: música clássica com tablets e smartphones

Marcus Padrini agosto 15, 2011 10 Comments »

O DigiEnsemble é um projeto alemão que reúne músicos com o objetivo de compor e executar peças eruditas com dispositivos móveis. Desta vez o grupo apresenta “Ostinato for 8 iPods”, tocada com iPods Touch, iPhones e um iPad. O app musical utilizado é o ThumbJam, um dos melhores do gênero para o iOS e que permite a importação de samples do usuário, além de já possuir excelentes timbres.

Para quem gostou da peça, as partituras para todos os instrumentos podem ser encontradas aqui.

ThumbJam (AppStore Link) ThumbJam
Desenvolvedor: Sonosaurus LLC
Preço: USD 8.99
Baixar na App Store!

Posts Relacionados

10 Comments

  1. moabeleite agosto 15, 2011 at 11:59 am - Reply

    É a ideia é boa, a qualidade da sintetização que é muito fraca, eu não consegui ouvir o oboé, (pra mim aquilo não é som de oboé nem aqui nem na china) nem a flauta… sei lá, acho que eles ainda precisam melhorar a qualidade dos sons digitais….

    • musicapps agosto 15, 2011 at 12:38 pm - Reply

      O ThumbJam trabalha com samples, logo a qualidade dos timbres está totalmente relacionada às amostras utilizadas. Como ele permite a importação de sons de instrumentos (inclusive com várias amostras por instrumento), creio que seja possível chegar a timbres bem satisfatórios dependendo da qualidade da gravação dos instrumentos reais.

      • moabeleite agosto 15, 2011 at 11:36 pm - Reply

        Entendi…. então é só gravar o som nele que ele toca ?

        • musicapps agosto 16, 2011 at 12:01 am - Reply

          Exatamente. E vai além: você pode usar um computador e ótimos microfones para registrar várias amostras (notas) do instrumento real e depois enviá-las ao thumbjam, melhorando bastante a qualidade final do instrumento a ser tocado no iPad :)

    • @paresq agosto 15, 2011 at 9:42 pm - Reply

      Será que vc não entendeu a magnitude desta idéia? Uma orquestra feita com celulares! Vc conseguiria imaginar isto a 5 ou 7 anos atras? Claro que os sons ainda não são samplers de 3 camadas e ainda não podem ser substituídos por instrumentos acústicos. Mas olha que coisa linda e impressionante, imagina vc usar um iPhone pra ensaiar ao invés de levar um contra-baixo acústico… Fantástico, tenho certeza que em pouco tempo teremos sons cada vez melhores para somar com a maravilha do acústico e podendo subistituír grande parte dos instrumentos, como é feito hj em dia nos estúdios através dos samplers, vst etc. Um abraço!

      • musicapps agosto 16, 2011 at 12:12 am - Reply

        Eu mantenho o ponto de vista que nada disso chega para substituir, mas sim para somar. Tenho testado vários aplicativos com ideias que podem funcionar como verdadeiros instrumentos musicais e que nada tem a ver com instrumentos acústicos. Por outro lado, acho legal você poder colocar em celulares e tablets timbres tocáveis de uma série de instrumentos acústicos que não são de fácil acesso e tocabilidade por boa parte dos músicos e usuários convencionais.

        Falando de instrumentos virtuais e samplers para o computador. Jamais substituiria uma orquestra ou um ótimo quarteto de cordas na gravação de um disco pelos VSTis programados, se pudesse contar com ótimos músicos e instrumentos reais. Porém, na hora de registrar uma ideia, ou simplesmente não ter o recurso humano, é ótimo saber que tenho 300 timbres de orquestra no computador e que uma boa programação pode gerar um ótimo resultado. Creio que a mesma coisa vale para o iOS. Não substitui, mas tudo que vier de novo e com qualidade deve ser visto como alternativa, novas possibilidades.

        Dando um último exemplo, agora sobre tocabilidade. Para várias coisas as interfaces multitoque oferecem pior tocabilidade do que instrumentos e controladores tradicionais. Porém, há alguns casos em que a tecnologia poderá oferecer experiências bem legais. Ainda não há um app que faça isso bem. Mas imagine o ThumbJam com timbres de um violino. Cada coluna é uma nota. E se vc pudesse controlar a intensidade das notas com movimentos detectados pelo acelerômetro? E se a ação do arco fosse simulada pelo arrastar do dedo na coluna que apresenta a nota que vc quer tocar? Ainda assim não seria um violino, mas com certeza iria oferecer mais expressividade para reproduzir o timbre deste instrumento do que um teclado MIDI.

        Meu comentário quase virou um post. :) Abraços a todos !

        • @paresq agosto 16, 2011 at 10:49 am - Reply

          Concordo com muitas coisas que vc disse Marco, mas acho q em alguns casos já podemos substituir. Ex: Em uma performace ao vivo, temos uma única música que possui um solo de Cello. Pra vc arrumar uma pessoa que toque este instrumento maravilhoso, não tem a mesma facilidade de que se fosse pra achar um guitarrista. Mesmo que encontramos tal músico, teríamos que fazer uma ótima captação para assim ter um som agradável (investimento em captação deste tipo de instrumento é caro, e exige um ótimo técnico de som) caso contrátio fica um som de lata. Na minha opinião, se vc usar um iPad para tocar esta música possívelmente vc terá um som que vai satisfazer sua necessidade. Isto porque no thumbjam já é possivel controlar o vibrato, volume e pan simultaneamente durante a execução.

          Portanto nunca devemos generalizar, pois sempre existe uma exceção.
          Concordo totalmente quando vc diz que não vem para substituir e sim para somar :)

          Parabéns pelo Portal de insformações!!!

    • Fábio Pio Marques agosto 15, 2011 at 11:33 pm - Reply

      Concordo, acho que o excesso de instrumentos na mesma faixa e o volume dos instrumentos individualmente prejudicaram a harmonização da música. Bonita, porém com muita informação.

  2. celso agosto 15, 2011 at 1:42 pm - Reply

    muito legal o video, o thumbjam é muito bom tenho ele e é um dos meus aplicativos preferidos, juntamente com nano studio, beatmaker, guitarstudio, magashynth,

  3. moabeleite agosto 25, 2011 at 8:50 pm - Reply

    É como musico instrumentista, acho que computador nenhum substitui não só o instrumento, mas sim o musico que esta ali, passando a sua cara, sua expressão, suas características, como alguns preferem dizer, sua "alma". Eu vejo isso como um quebra galho como nosso amigo disse, pois instrumentos acústicos, principalmente os "eruditos", levam anos para um musico chegar um nível de exelencia para vc "substituir" por um sampler… A musica digital tem seus prós (que são muitos) e seus contras também acho que esse é um dos pontos, pois ela tira no meu ponto de vista a possibilidade de interpretação, e vc fica preso a apps melhores e coisas pré programadas, acho que isso é uma questão dá muito pano pra manga.

Leave A Response


− cinco = 1