Matérias, Notícias, Reviews, Reviews de Apps, iPad, iPhone/iPod Touch

FL Studio Mobile: desenvolva ideias musicais em qualquer lugar usando os seus timbres (review)

Marcus Padrini agosto 6, 2011 3 Comments »

Quando chegou ao iOS, há pouco mais de um mês, o FL Studio Mobile foi criticado por várias pessoas que não viram no aplicativo muitas das características da versão para desktop. A semelhança com o app Music Studio também foi bastante comentada. Antes de chegar a qualquer conclusão precipitada, optei por aguardar algumas atualizações, que já haviam sido anunciadas, para finalmente publicar meu review. Hoje vou mostrar o que falta no FL Studio Mobile, mas também irei apresentar tudo que o app pode fazer de melhor e algumas características muito positivas que só o FL Studio Mobile tem.

-

Não é o FL Studio para desktop

De fato, não é. A versão para o computador conta com sintetizadores, gravação de voz e uma série de outros recursos que não estão disponíveis no iOS. Porém, creio que este nunca foi o objetivo da Image Line. Quando lançado, acredito que a ideia era complementar a experiência com a versão para Windows. Novas versões vieram e o FL Studio passou a ser mais do que este simples complemento.

O app tem versões para iPhone/iPod Touch (FL Studio Mobile) e iPad (FL Studio Mobile HD), sendo que a única diferença entre elas é a compatibilidade com o controlador Akai Synthstation25, presente na versão para iPhone. Ambas são compatíveis com coreMIDI.

-

Interface e fluxo de trabalho

O FL Studio Mobile tem a interface bastante semelhante a do Music Studio para iPad/iPhone, o fluxo de trabalho também não é muito diferente. Basicamente, existem 6 abas no topo da tela. A primeira para o modo teclado/Drum Pads e as demais para funções como a seleção de instrumentos, o modo de visualização das faixas, efeitos, tela de projetos e configurações.

Cada faixa pode ser assinalada a um instrumento, kits de bateria ou loops. Kits de bateria são comandados pelos Drum pads, enquanto os demais instrumentos podem ser acionados pelo teclado virtual. Ambos recebem mensagens coreMIDI com controladores externos.

Começar a gravar é bem simples. Basta selecionar um instrumento para qualquer uma das pistas, definir o tempo de seu projeto e começar a registrar tudo. Depois de finalizar suas ideias, é possível exportar o resultado das seguintes maneiras: iTunes File Sharing (Wave e MIDI), Audio Copy (para outros apps iOS).

É bom lembrar que o FL já vem com um editor no estilo Piano Roll, bastante eficiente, ideal para corrigir notas desafinadas ou fora do tempo em gravações.

O FL Studio Mobile não trabalha com a gravação de áudio. Porém, nada impede que você faça nele toda a parte instrumental de teclados e baterias e depois finalize em outro app iOS para gravar guitarras e voz.

-

Timbres e importação de instrumentos do usuário

A parte de instrumentos do FL Studio é bastante curiosa e reúne ótimos sons e timbres que eu nunca usaria. Existe uma boa seleção de sintetizadores e teclas, mas a parte de orquestra, pianos e órgãos é bem fraca e pouco customizável. Não espere algo como as possibilidades de configuração dos instrumentos do GarageBand para iPad.  Destaque para os loops e kits de bateria, bastante superiores aos de outros apps iOS.

Por outro lado, a Image Line adicionou ao FL Studio Mobile um excelente recurso: a importação de timbres do usuário. Se você não gostou do piano que veio com o app, sentiu falta de um timbre de strings que só seu computador ou teclado específico tem, não há problema. Basta gravar este timbre e adicioná-lo ao FL.

O processo é meio chato, mas o resultado final vale o esforço. Fiz o teste da seguinte maneira (fica a dica):

  • No Sonar (ou qualquer outro software de áudio para o computador) gravei o primeiro instrumento virtual com um timbre que eu queria. Foi um piano elétrico.
  • Gravei amostras de 5 oitavas do instrumento (comecei do A1 e fui até o C5, tocando 2 ou 3 notas por oitava).
  • Peguei as notas MIDI geradas na gravação e coloquei todas com a mesma característica de intensidade (velocity=120).
  • Gerei um arquivo wav com todas as notas tocadas no instrumento em questão.
  • Cortei cada uma das notas na gravação wav e exportei no formado de nome do FL Studio (Exemplo: Piano_A2.wav).
  • Coloquei todas as notas em wav dentro de um arquivo ZIP e enviei para o FL Studio Mobile pelo iTunes.
  • Transformei o zip em instrumento no aplicativo e o próprio FL ficou responsável por “esticar” as notas e deixar tudo certinho em todas as oitavas.
  • Fiz o mesmo processo para mais alguns instrumentos que queria.

Confira um trecho de gravação usando meus novos instrumentos para o FL Studio Mobile:

FL Studio Mobile with custom samples by musicapps

Há este tutorial da própria Image Line ilustrando o processo:

Nos testes que realizei, percebi que o app limita a criação de novos instrumentos a arquivos zip de 17 MB (iPad 1) e 20 MB (iPad 2). Arquivos maiores do que estes não serão transformados em instrumentos no FL Mobile. Vale ressaltar que o FL Studio Mobile é o único app coreMIDI com ideia de DAW  que permite a importação de instrumentos com várias amostras. Isto melhora a qualidade final e o realismo dos instrumentos criados.

-

Efeitos: muitas limitações

Quando decidi tocar ao vivo apenas com instrumentos virtuais usando o notebook, me acostumei como toda a flexibilidade existente em um modelo que não está baseado em limitações de instrumentos reais. Uma das coisas mais legais é poder pegar qualquer instrumento virtual e processar seus sons com qualquer efeito que você quiser, sem afetar os demais instrumentos. O FL Studio Mobile trabalha apenas com efeitos gerais para o mixer e eu não gosto disso.

Você tem uma escolha: a pista passará pelos efeitos, ou não. E o pior: não há controle de intensidade dos efeitos sobre cada instrumento e nem a possibilidade de rotear algumas pistas para um reverb, outras para o delay.  Isto limita demais qualquer trabalho.

-

Versatilidade no metrônomo

No GarageBand, há uma opção de compasso: o eterno 4/4. Para a felicidade geral, o FL Studio Mobile oferece mais opções.

-

FL Studio como módulo de timbres ou sequenciador MIDI

Usar o FL Studio Mobile como módulo de timbres para teclados controladores ou sequenciador MIDI é bem interessante. O app é capaz de receber mensagens MIDI a partir de vários canais e também pode enviá-las da mesma forma. Confira mais detalhes neste post.

-

Recursos de automação e alteração de peças de bateria

Também vale dar uma olhada no que as telas de Drum Pads e Step Sequencer trazem de melhor. Veja o que você pode fazer nelas neste post.

-

iPad 1 x iPad 2

O FL Studio Mobile HD foi o primeiro aplicativo a revelar grandes diferenças de performance nas diferentes versões do iPad. Durante algumas semanas usei o aplicativo em ambos e tentei reproduzir diferentes situações para ver como ele se comportava. Aí vão as minhas conclusões:

  • No iPad 2, o FL Studio Mobile HD geralmente pode ficar em background e ser chamado a qualquer momento, retornando na tela em que você saiu. No iPad 1 ele é recarregado do zero praticamente todas as vezes.
  • O tempo de carregamento do app nos dois modelos é bastante diferente. O iPad 2 é bem mais rápido.
  • No iPad 2 é possível importar instrumentos maiores (20 MB). No primeiro modelo, o máximo da importação são 17 MB.
  • Quando trabalhamos com instrumentos mais pesados carregados nas pistas, o iPad 2 muda de um instrumento a outro instantaneamente. Já o iPad 1 exibe uma tela de carregamento para cada mudança.
  • A estabilidade também é diferente. Para gravar um exemplo com timbres mais pesados gastei 5 minutos com o iPad 2, sem nenhum problema. No primeiro modelo o app travou e fechou subitamente algumas vezes, porém sempre salvando tudo que foi realizado (ainda bem!).

-

Resumo do FL Studio Mobile para iOS:

-

O que há de bom:

  • Importação de timbres do usuário
  • Compatibilidade coreMIDI
  • Trabalho com número de pistas limitado apenas pela capacidade do dispositivo
  • Compatibilidade coreMIDI para envio e recebimento de mensagens por 16 canais
  • Várias opções de compasso para o metrônomo
  • Exportação do áudio gerado por arquivo wav, MIDI (para trabalhar no computador em outro software) e audio copy (para usar em outros apps iOS)
  • Toque com vários timbres ao mesmo tempo usando teclados controladores e diferentes canais MIDI
  • Baixa latência
  • Interface simples e objetiva
  • Automação e customização de timbres de bateria
  • Ótimos sons de baterias eletrônicas
  • Ótimos loops de bateria
  • Editor Piano roll
  • Salva os projetos em tempo real, impedindo a perda de dados em travamentos

O que pode melhorar:

  • Capacidade de importar samples de outros apps, em vez de sempre ter que gravá-los utilizando o computador
  • Melhorias na parte de efeitos. Controle de efeitos individual por pista é fundamental
  • Recurso de gravação de voz e samples no próprio app
  • Inserção de um sintetizador, baseado ou não em samples (como no NanoStudio)
  • Mais possibilidades de edição de cada timbre
  • Opção para envio do áudio gerado por e-mail

E finalmente:

- FL Studio Mobile HD para iPad e FL Studio Mobile para iPhone/iPod Touch:

FL Studio Mobile (AppStore Link) FL Studio Mobile
Desenvolvedor: image-line
Preço: USD 14.99
Baixar na App Store!

FLSM (AppStore Link) FLSM
Desenvolvedor: image-line
Preço: USD 14.99
Baixar na App Store!

Tocabilidade (4.5/5)
Qualidade Sonora:
(3.5/5)
Interface gráfica: (3.5/5)
Flexibilidade: (4/5)
Profissional: (3.5/5)
Diversão: (4/5)
Geral: (3.8/5)

-

Conclusão

O FL Studio não é perfeito e nem poderá seu utilizado por muitos como única ferramenta de produção de áudio no iOS. Porém, sua integração com outros ótimos apps é possível e muito recomendada. Importar seus próprios timbres e exportar o resultado em áudio para outros aplicativos é uma opção muito bem-vinda. Estes recursos, de certa maneira, poderão tornar o FL Stuio Mobile uma escolha melhor para alguns músicos do que o próprio GarageBand.

Indico o FL Studio Mobile para qualquer músico que quer carregar parte de seus timbres no iPad ou iPhone e deseja ter um app capaz de interagir com outros títulos musicais do iOS para dar continuidade às ideias criadas.

Outro ponto legal é que a Image Line está atualizando o app constantemente e ele é a representação no iOS de outro produto já consagrado. O reconhecimento do desenvolvedor e o sucesso da versão para desktop sugerem a evolução constante do título para o iOS.

-

Presente para os usuários do FL Studio Mobile e leitores do MusicApps

Conforme foi prometido, há um pequeno presente para todos os leitores do MusicApps que possuem o FL Studio Mobile. Estou disponibilizando os timbres de Piano, Piano Elétrico, Órgão Hammond e Strings, que gravei em alta qualidade para usar no FL Studio. Basta baixar os arquivos zip e importá-los para o app via iTunes. Depois de criar o instrumento no app, recomendo fazer ajustes de ataque e release na tela de instrumentos, pois o FL sempre exibe as configurações de fábrica e cada instrumento de comporta de uma maneira específica quanto a estes parâmetros.

Baixe agora:

Piano Acústico Steinway -   Piano Elétrico -   Órgão Hammond -   Strings

-

Gostou do review? E dos timbres? Mande seu comentário sobre o FL Studio Mobile abaixo!


Posts Relacionados

3 Comments

  1. João Rodrigues fevereiro 4, 2013 at 11:58 am - Reply

    Excelente review, peguei um iPad recentemente, e coloquei o FL nele, antes de começar a usar o app li todo seu review e aprendi muita coisa nele, valeu pelos timbres também!

  2. PRINCE setembro 10, 2014 at 9:39 am - Reply

    muito bom! Gostaria de saber se os timbres disponível para baixar pode ser importados para o FL Studio do Android

Leave A Response


quatro + 1 =