Matérias, Notícias, iPad

Impressões sobre o iPad 2 para se fazer música

Marcus Padrini abril 5, 2011 No Comments »

Meu iPad 2 chegou há pouco menos de uma semana. Neste período venho preparando um resumo sobre como é o novo modelo para se fazer música, obviamente traçando inevitáveis comparações com o dispositivo de primeira geração, que também tenho por aqui.

A internet já está cheia de reviews e comparativos entre o iPad 1 e o novo modelo para o uso comum. Aqui não vamos falar de câmeras, de facetime e nem muito menos sobre  jogos de corrida com gráficos incríveis (apesar de serem fantásticos :) ). Vamos falar sobre o iPad 2 como ferramenta musical!

Quem acompanha o blog sabe que há um ano sou usuário do iPad 1 e tento explorar e conhecer todas as suas possibilidades musicais. Exatamente por isto, fico à vontade para emitir as minhas opiniões sobre o novo modelo.

Segue um resumo com o que já pude observar sobre o iPad 2.

-

Peso, tamanho e design

A foto acima já mostra bem. A espessura do iPad 2 diminuiu consideravelmente. As bordas abauladas ajudam a aumentar ainda mais esta impressão. O peso diminuiu pouco em relação ao modelo anterior. Porém, como ele está mais fino, a pegada do tablet melhorou e isso incrementou a sensação de diminuição do peso.

A impressão inicial que tive, de que o iPad 2 era fino e frágil demais, não durou muito. Ele continua com peso suficiente para não sair voando por aí, em cima de uma mesa, depois de um esbarrão sutil. A construção segue o padrão da Apple e logo que você olha com cuidado percebe que ele foi feito para durar.

Sobre o design, nunca achei o iPad com tanta cara de um iPod Touch gigante. Se isto é bom ou ruim, varia de gosto. Só sei que o novo modelo lembra demais o que aconteceu com o iPod Touch ao longo do tempo.

De qualquer forma, uma das grandes novidades é poder escolher a cor branca. Muita gente tem medo da possibilidade de amarelar com o tempo. No meu caso, achei mais bonito e decidi apostar.

-

Novo auto-falante

É, ainda não foi dessa vez que vimos um tablet com auto-falantes em estéreo. O novo falante interno teve sua posição alterada. Ele agora fica na parte de trás do iPad, antes ficava na lateral do dispostivo. Seu acabamento também mudou bastante. O local que aloja o falante agora apresenta furos maiores.

A qualidade sonora do auto-falante, do ponto de vista musical, continua sofrível. Algumas pessoas disseram que, com o novo modelo, é possível ouvir mais os graves. Se você estiver usando o Smart Cover, isso de fato é verdade. A capa parece formar uma espécie de caixa de ressonância na parte de trás do tablet e as frequências graves aparecem mais. Sem o Smart Cover, achei o falante do novo modelo inferior ao de primeira geração, que aparentemente é mais potente e tem definição um pouco melhor.

-

Memória e processamento

Aqui a diferença é grande. Com o dobro da memória RAM do modelo original e carregando um processador de dois núcleos, as melhorias de performance do iPad são bem fáceis de perceber. Alternar entre aplicativos ficou muito mais rápido, assim como também diminuiu o tempo de abertura de algumas aplicações mais pesadas.

A experiência de utilização ficou mais “macia”. Mesmo com vários apps abertos em background não experimentei fechamentos e travamentos inesperados, algo até um pouco comum no iPad 1.

O GarageBand ficou bem mais rápido e não vi nenhuma vez ainda a tela de otimização de performance, que aparece várias vezes em projetos maiores no iPad1.

Ainda não há aplicativos musicais desenvolvidos especialmente para o iPad 2. Existe uma diferença de performance, mas, para os apps antigos, ela está longe de ser assustadora. Todos os dias vejo desenvolvedores dizendo que compraram seus iPads 2 e que o novo processador é capaz de fazer muito mais do que os apps atuais. Novas versões, explorando melhor a capacidade no novo tablet, não devem demorar a aparecer.

-

Acessórios que ainda funcionam e outros que ficaram pelo caminho

Acontece quase sempre que um dispositivo recebe nova versão. A boa notícia é que a esmagadora maioria dos acessórios musicais como Camera Connection Kit, iRig, iRig Mic, continuam funcionando perfeitamente. Já outros, que dependem de características físicas do dispositivo, não são compatíveis com o iPad 2. É o caso de diversos cases e principalmente do meu novíssimo iKlip. Feito sob medida para o iPad 1, o suporte da IK Multimedia não consegue nem mesmo deixar o iPad apoiado sem cair no chão.  A empresa já anunciou uma nova versão que deverá chegar em breve ao mercado.

-

Smart Covers: bonitinhos, mas…

Eles foram uma das atrações na apresentação do novo tablet. Bonitos, coloridos e sempre alinhados com o tablet, por meio de muitos imãs que garantem sua fixação, os Smart Covers são realmente bem legais! Além de protegerem a tela do iPad 2, eles também ajudam na limpeza da tela, ao abrir ou fechar a capinha.

Ok, mas o que dizer da parte de trás do tablet? Bem, se você pensar em tocar com o iPad, em qualquer outro lugar que não seja a sua casa (de preferência em superfícies macias e locais sem quinas), é bom considerar alguma outra solução para proteger seu novo investimento. Ele não irá estragar, nem parar de funcionar, mas com certeza já não estará bonito em poucos dias, se você usar apenas o Smart Cover.

Novos modelos de cases devem estar sendo lançados em breve para o iPad 2. Eu irei comprar um deles. Adoraria um case como o do modelo anterior, adaptado para essa nova versão. O case do iPad 1 era quase um tanque de guerra. Com ele, levei o iPad para o palco, ensaios e tudo mais, sempre dentro de uma mochila e sem nenhuma preocupação.

Meu iPad 2 não saiu de casa até hoje devido aos perigos iminentes à sua integridade. :) Se você acha frescura excesso de zelo, depois vou postar uma foto da traseira do meu iPod Touch 4G, que resolvi usar naturalmente, sem capa e sem nada. Elas irão partir seu coração. Além disso, boa conservação é fundamental na hora de vender bem seu dispositivo atual para fazer a aquisição de um modelo novo no futuro.

-

Conclusões, por enquanto

Apesar de longo, este post não é um review. Ainda é muito cedo para falar de todo o potencial do recém lançado iPad 2 para a música. O que fez o iPad tão apreciado por músicos de todo o mundo foram seus acessórios e principalmente seus aplicativos musicais, que surgiram ao longo de um ano. Todos os apps antigos funcionam perfeitamente em suas duas gerações e ainda não há novos títulos que rodem apenas no modelo 2 ou que só possam ser utilizados adequadamente nesta segunda versão. Agora, os próprios desenvolvedores ainda estão verificando o que será possível desenvolver de diferente para o novo hardware.

Durante esse ano, pode ser que tenhamos novidades musicais específicas para no iPad 2.  Porém, por enquanto, para a música, o iPad 2 é um tablet um pouco mais fino, um pouco mais leve e ligeiramente mais rápido que seu antecessor.

Para quem já tem o iPad 1, ainda não há motivos verdadeiramente poderosos para justificar a troca pelo novo modelo. Mesmo após uma semana usando o novo tablet, ainda acho o iPad 1 rápido, bonito, portátil e sensacional. :)

Para quem irá comprar seu primeiro iPad, ou deseja aumentar a capacidade de armazenamento/processamento do dispositivo atual, acredito que a melhor opção seja esperar pela chegada da nova versão no Brasil, o que não deve demorar, e adquirir o hardware mais recente. Se seguir a tendência do resto do mundo, o iPad 2 será vendido por aqui pelos mesmos preços iniciais da primeira geração.  Também vale considerar aproveitar os bons preços da versão anterior, a única atualmente disponível no Brasil. Já há muitos aplicativos e possibilidades musicais para o modelo atual e os desenvolvedores não irão se esquecer tão cedo do número monstruoso de iPads 1 vendidos em 2010.


Posts Relacionados

Leave A Response


× quatro = 32