Android, Matérias, Notícias

O que esperar da música no Android e seus tablets?

Marcus Padrini fevereiro 8, 2011 2 Comments »

Esta é uma ótima pergunta e que parece não estar perto de ser respondida. Aliás, no que se refere à música, o Android em si continua sendo a reunião de muitas potencialidades e possibilidades, mas de fato ainda não é uma realidade como o iOS. O tablet que você vê na foto acima é o Xoom da Motorola, um dos destaques entre os equipamentos que irão trabalhar com o Android desenvolvido especialmente para os tablets, o HoneyComb.

Veja a propaganda do Xoom, divulgada recentemente pela Motorola e inspirada em um famoso comercial da Apple.

O Xoom tem configurações robustas. Traz câmera com 5MP e capacidade de gravar (720p) e reproduzir (1080p) filmes em HD. Trabalha com um processador Dual Core de 1 Ghz NVIDIA Tegra 2, tem tela de 10.1″ e bateria com até 10 horas de duração. Teoricamente, há um ótimo campo aqui para desenvolvimento de excelentes aplicações, inclusive para a música. Mas será que a coisa vai?

Galaxy Tab pode permancer sem Android para Tablets

A fragmentação, a maior inimiga do Android, está mais viva do que nunca. Imagine que você comprou um Galaxy Tab, ficou feliz da vida com seu novo tablet e com o fato de ter um sistema operacional mais flexível. Dias depois surgem duas notícias. Uma boa, outra ruim. O Google estava lançando a nova versão do Android, cheia de novidades e exclusiva para Tablets, a HoneyComb. Esta foi a boa. A ruim viria alguns dias depois: o Galaxy Tab não se encaixa nas configurações necessárias para trabalhar com a HoneyComb e não deverá receber a nova versão do Android. Com certeza haverá opções de hacks ou outras possibilidades para forçar a instalação, mas esta é outra história, distante dos usuários comuns.

Peter Kirn, do ótimo Create Digital Music, divulgou recentemente a disponibilidade de uma nova biblioteca Pure Data (Pd) gratuita para auxiliar no desenvolvimento de aplicativos musicais em dispositivos móveis.  A iniciativa traz para o Android, e também para o iOS, uma tecnologia bastante consolidada para a criação de apps musicais.  Outra boa notícia foi a chegada do SuperCollider ao Android, mais uma tecnologia poderosa para a criação multimídia.

Mas quando virão os ótimos aplicativos musicais para o SO móvel do Google? Uma rápida passada pelo Android Market é suficiente para perceber que ainda não há grandes destaques na parte de criação e produção musical. Falta demanda por estes aplicativos?  Duvido. O Android cresce vertiginosamente e, neste meio de novos usuários, há músicos. As próprias buscas no Google que trazem ao MusicApps revelam isso.

Espero que a popularização dos tablets Android possa trazer mais títulos musicais de qualidade para o SO móvel do Google. Tomara que a fragmentação não iniba o desenvolvimento. Concorrência é algo sempre bem-vindo para os usuários. Por enquanto, música em dispositivos móveis permanece quase como sinônimo de música no iOS. Isto fica ainda mais forte se olharmos as novidades e os acessórios lançados para a música em iPads, iPhones e iPods Touch. Até o momento, nenhuma plataforma tem nada parecido. Espero, em breve, poder falar muito mais sobre música no Android por aqui.


Posts Relacionados

2 Comments

Leave A Response


1 × = seis