Matérias, Notícias, Outros Dispositivos

Entendendo o Korg microPIANO (ou tentando)

Marcus Padrini janeiro 19, 2011 No Comments »

Em outubro do ano passado, falamos sobre um novo produto da Korg que seguia a onda da miniaturização da empresa, o Korg microPIANO. Ele é compacto, pesa cerca de 5 Kg, tem 61 mini teclas e o visual idêntico ao de um piano tradicional. O microPIANO apareceu na edição 2011 da NAMM e deverá chegar ao mercado em breve. Mas afinal, qual é o nicho de mercado deste produto?

Desde que a Korg lançou sua linha de sintetizadores super compactos, existe a polêmica sobre a tocabilidade das mini teclas. Na verdade, esta questão tem mais tempo. Impossível não citar os clássicos modelos CASIO VL-1 e CZ-101. O VL-1 é de 1979, tinha teclas de calculadora e nenhuma conexão MIDI. Seis anos mais tarde a CASIO lançaria o CZ-101, a versão “mini-teclas” do CZ-1000, este já com MIDI e capaz de gerar timbres interessantes.

Casio CZ-101

Dos lançamentos da Korg com mini teclado, talvez o mais popular seja o microKORG, um sintetizador de modelagem analógica, capaz de produzir timbres muito bons, além de ser equipado com um vocoder. Tudo isso em um equipamento muito compacto, leve e com visual retrô. Depois vieram outras idéias semelhantes, como o microKORG XL e o microSAMPLER.

microkorg

A questão da dificuldade de se adaptar às teclas menores foi superada por diversos músicos que enxergaram nestes equipamentos bons sintetizadores, além da questão da mobilidade. Além disso, sempre há a possibilidade de ligar o equipamento a um controlador MIDI e utilizar seus timbres com o potencial das teclas normais.

Ok, mas e o microPIANO? Tudo bem que ele é muito, mais muiiito, menor e mais leve que um piano convencional. Porém, não chega a ser tão compacto como outras opções de portáteis com 61 mini teclas. As medidas são 80(l)x29(c)x13(h) cm. Por falar em teclas, elas com certeza têm boa ação, mas será o suficiente para tocar peças de piano? O microPIANO oferece 60 timbres de qualidade. Os pianos, por exemplo, utilizam a mesma tecnologia de geração de timbres dos pianos digitais da Korg. Porém, ele não é um sintetizador que permita a edição destes timbres.

microPIANO: acabamentos

Busquei entender o microPIANO vendo suas características, mas isto também não ajudou. Ele tem polifonia de até 120 vozes em mono e 60 em estéreo, o que de maneira nenhuma é ruim ou amador. Existem pianos digitais no mercado com polifonia de 32 vozes. Ao mesmo tempo, o produto apresenta 2 auto-falantes embutidos ovais de 10cm, com potência de 1 Watt. Teclados bastante básicos (os PSR mais simples da Yamaha) trazem 2 falantes maiores e com pelo menos o dobro do potência. Pode ser que o desenho do microPIANO favoreça esta amplificação naturalmente, com as características do seu projeto, posicionamento das caixas e a tampa. A saída de áudio é apenas P2 estéreo, algo que aceitamos conviver (por enquanto) em iPads e iPhones, mas que em instrumentos musicais é algo estranho.

Outro detalhe, nada de comentários sobre MIDI em suas especificações.

E então, para quem é o microPIANO? Opção para um primeiro contato com instrumentos musicais? Diversão para pianistas em locais compactos e para levar um “piano” para qualquer lugar? Instrumento compacto também com função decorativa? (ele realmente é bonito e está disponível em 3 cores)

Deixo claro que sou um fã desta linha de instrumentos compactos da Korg. Além do polêmico Monotron, tenho um microKORG e um microX e simplesmente adoro todos eles.

O preço ainda não foi divulgado, então podemos especular:

Você compraria um microPIANO? Que preço estaria disposto a pagar por um? O que você acha da idéia? Deixe seu comentário!


Posts Relacionados

Leave A Response


5 × = quarenta cinco