Matérias, Notícias, Outros Dispositivos, iPad, iPhone/iPod Touch

10 previsões para a Música Eletrônica na próxima década

Marcus Padrini janeiro 3, 2011 5 Comments »

Li este post no Synthtopia e achei bem bacana falar sobre ele por aqui. O assunto gerou bastante discussão por lá, afinal falar de previsões nunca é algo fácil, ainda mais quando se projeta algo sobre tecnologia e para os próximos 10 anos.

Confira as previsões do Synthtopia para a música eletrônica para a próxima década:

1- A síntese modular irá se popularizar – os preços dos sintetizadores modulares diminuíram bastante nos últimos anos. Um Moog Modular costumava custar o mesmo que uma casa. Agora é possível comprar um equipamento bastante sofisticado por alguns milhares de dólares. Mais sintetizadores estão adicionando características modulares, é o caso do  Minimoog Voyager XL. Muitos sintetizadores modulares virtuais estão disponíveis, inclusive para dispositivos móveis (veja o JASUTO). Agora que estão ficando mais baratos, eles deverão ser mais simples de aprender. É provável que a síntese modular fique mais visual e tátil na próxima década.

2- Robôs entram na banda – 10 anos atrás, a idéia de tocar com robôs era ficção científica. Desde então tivemos todo o tipo de inovação nesta área: robôs tocando theremin, robôs cantores, capazes de improvisos no Jazz, orquestras de robôs e, no início do ano que passou, Pat Metheny substituiu a sua banda por robôs.  Esta tecnologia deverá se popularizar na próxima década e , em vez de tocar com sequenciadores, você poderá mixar a performance de robôs tocando ao vivo.

3- A Música Móvel será realidade – Ainda não acredita no poder dos smartphones, iPads e outros para a criação musical?  É melhor rever seus conceitos. Em 3 ou 4 anos dispositivos móveis serão mais poderosos do que seu desktop e estes gadgets deverão ser os mais utilizados para a música eletrônica. Não se esqueça do que os céticos disseram a respeito do notebook como ferramenta musical 10 anos atrás.

4- Você irá projetar seu próprio instrumento – Nos últimos anos, a customização de instrumentos musicais cresceu em popularidade. Você pode comprar uma Roland TB-303 com modificações, teclados com pinturas estilizadas e leds diferentes, com madeiras exóticas, etc.  Isso deverá ficar mais comum na próxima década, com fábricas oferecendo até a total customização do seu produto. Com as avançadas tecnologia de projeto e produção, em alguns anos será possível projetar seus próprios instrumentos, testá-los virtualmente e depois “imprimí-los” do jeito que você desejou.

5- Música nas nuvens será uma realidade – A idéia de se fazer música em um ambiente virtual distante por meio da internet irá decolar. Na próxima década, provavelmente você fará música em estúdios virtuais em 3D. Você irá organizar seu estúdio virtual da maneira que você trabalha. Seu home studio será a mistura de instrumentos reais, controladores muito flexíveis e telas touch gigantescas. Será possível também levar seu estúdio com você, já que seus instrumentos e trabalhos estarão online na nuvem, acessíveis a partir de qualquer computador conectado à internet.

6- Você verá músicos com modificações musicais no corpo – a próxima década trará novidades capazes de transformar seu corpo em um instrumento musical. Estamos falando de tatuagens que funcionam como controladores, sensores que podem captar movimentos e transmiti-los sem fio e peças eletrônicas que são tão pequenas que podem se fundir ao seu corpo. Você irá controlar sintetizadores com sua mente e seu corpo será um sintetizador.

7- Tudo será um instrumento musical - As tecnologias de síntese gestual e controladores tangíveis deixarão de ser brinquedos interessantes e passarão a ser ferramentas poderosas.  Você já viu exemplos do Reactable e também do Kinect. Nos próximos anos, o seu computador irá usar a câmera e o microfone para entender o que você está fazendo com as mãos e o corpo. O computador também deverá ser capaz de ver você fazendo coisas como o desenho de um teclado e usar aquela figura como um controlador para um instrumento virtual, um tabuleiro de xadrez como um sequenciador, etc.  Agite as mãos no ar e toque um theremin virtual. Indo um pouco além,  coloque uma câmera na pista e a intensidade do público poderá ser um modulador para seu software de DJ.

8- Softwares musicais ficarão mais inteligentes – o estado da arte em workstations digitais é incrível. Mas, de forma geral, o que as fabricantes de softwares ainda estão fazendo são versões virtuais dos hardwares tradicionais de estúdio. A maioria dos soft synths ainda se parece e funciona como sua inspiração em hardware e isso é o que os usuários demandam. Na próxima década, os softwares de produção musical deverão ser capazes de interagir de forma mais inteligente com o usuário. Diga ao computador que você quer fazer uma trilha de Drum and Bass e o software irá antecipar a maneira como você quer seu estúdio virtual configurado. Pronto para começar? Diga “me dê uma batida”. Você irá solfejar uma linha de baixo e seu software irá transformá-la em  notas musicais.

9- Você terá que repensar tudo que sabe sobre a indústria da música – Os grandes selos estão perdendo espaço e o poder de decisão  e isto tem sido substituído pelo caos. O álbum é algo obsoleto. A internet significa poder se conectar aos fãs do outro lado do mundo, em tempo real. O YouTube substituiu a MTV. A sua habilidade de encontrar fãs, agendar shows e ser pago por fazer música irá depender da sua capacidade de repensar tudo que você sabe sobre a indústria da música, no contexto do mundo conectado. Se você está fazendo música eletrônica bem específica, poderá precisar encontrar seu público em outra cidade ou país. Você poderá pensar que tem milhares de fãs espalhados pelo mundo e não conseguir reunir nem meia dúzia em um show na sua cidade. Se você quer ter audiência, entender como colaborar com outros músicos e artistas ao redor do mundo e saber como publicar e divulgar seu trabalho na internet será essencial.

10- A música será mais inteligente – A idéia de vender uma música fixa será arcaica na próxima década. Por quê todos que escutam a sua música precisam ouvir exatamente a mesma coisa, para sempre, independente do seu equipamento de som, sua localidade, o que estão fazendo e quem são? A música será mais maleável e poderá se adaptar às circunstâncias e ao que os ouvintes estiverem fazendo. Já começamos a ver isso com a o app Inception para iPhone, capaz de alterar sons de acordo com a localização e ações do usuário. A próxima década deverá possibilitar a criação de experiências musicais individuais. Você fará música que incorpora o feedback do usuário, que poderá interagir com ela. Você criará música capaz de perceber o ambiente e alterar sua densidade para criar uma trilha sonora customizada para os ouvintes.

E aí, o que achou das previsões? Também arrisca alguma? Comente abaixo! :)


Posts Relacionados

5 Comments

  1. Alessandro julho 18, 2011 at 12:22 am - Reply

    a sua visõ é bem futurista e é real … eu imaginava coisas tipo filmes de ficção dos anos 80 e 90 onde as pessoas interagiam coma a música …é o q vc disse .

  2. Alessandro julho 18, 2011 at 12:24 am - Reply

    o ítem 7 me parece bem acessível, pode-se imaginar coisas tipo o funcionamento do nintendo wii… sensores fora e dentro do corpo, uau…

    item 9 – é real – de nada adianta se ter 5000 fãs espalhados pelo mundo se eles não se encontrarão nunca no mesmo show seu, porém se juntar mais dezenas de outros artistas num mesmo evento , pode ser q tudo mude e um pouco de cada vai curtir a seu show é como se fizesse um "peixe urbano" dos shows ou artistas – sei lá —tem muita gente querendo ser artista – hoje em dia todo mundo tem coragem de subir no palco e nem sente aquele famoso friozinho na barriga – acho que falta isso nos artistas.

  3. Alessandro julho 18, 2011 at 12:24 am - Reply

    o ítem 10 tbm é bem possível de acontecer – eu projetaria a música no meu estilo ….mas e a música que o cara fez? (o cara???) qual é o estilo? será que eu precisaria que alguém fizesse uma música? mas é bem provável q isto aconteça – mas como tudo o que novo e muito rápido perde a graça logo –

    olhem para os computadores hoje em dia—a maiioria usa para msn-facebook – you tube e etc, mas a essência da tecnologia e mágica da transmissão de dados nem são percebidos pelos usuários – o que torna isso ainda um grande mistério para muitos !!!! sendo assim , eu acho tocar "pour elise" no piano , solinho de "sweet child o' mine " na guitarra ou peças de bach no violino continuam sendo uma grande disputa para quem quer ser músico —como aplicá-las é que entra na sua visão , acho q é isso ,não?

Leave A Response


2 × = quatro