Matérias, Notícias, iPad, iPhone/iPod Touch

10 perguntas e respostas sobre o iOS 4.2 e a tecnologia MIDI em iPhones, iPads e iPods Touch

Marcus Padrini novembro 9, 2010 11 Comments »

O iOS 4.2 está chegando nos próximos dias e com ele uma grande novidade para músicos que possuem iPhone, iPod Touch ou o iPad: é a primeira vez que o sistema operacional dos dispositivos móveis da Apple terá compatibilidade nativa com a consagrada tecnologia MIDI. Mas o que isto representa de verdade? Como irá funcionar realmente?

Tenho recebido alguns e-mails com dúvidas sobre o assunto e por isto resolvi fazer estes especial com 10 perguntas e respostas sobre a novidade.  Infelizmente, ainda não há informações suficientes para responder plenamente a todas as dúvidas, mas creio que já será possível entender um pouco do que vem por aí.

1- Ouvi dizer que o iOS 4.2 terá compatibilidade com MIDI nativa, o que isto quer dizer, afinal?

Vamos começar relembrando o que é MIDI. Este conceito pode ser claro para tecladistas e músicos mais ligados à tecnologia, mas para guitarristas, baixistas e outros, pode não ser. Segundo a Wikipédia, “MIDI (Musical Instrument Digital Interface), ou Interface Digital para Instrumentos Musicais, é uma tecnologia padronizada de comunicação entre instrumentos musicais e equipamentos eletrônicos (teclados, guitarras, sintetizadores, sequenciadores, computadores, samplers, etc)”.

Quando você compra um equipamento MIDI, como um teclado por exemplo, ele será capaz de se comunicar com outros dispositivos compatíveis com a tecnologia. Poderá controlá-los ou ser controlado por eles. Significa, por exemplo, tocar as teclas de um teclado e ouvir os sons sendo processado em outro, em módulo de timbres ou, mais recentemente, em um software no computador.

Para funcionar com a tecnologia MIDI, o dispositivo deve ter uma implementação especial e isto envolve hardware e software. O que está ocorrendo no iOS 4.2 é que o sistema operacional está vindo de fábrica com a implementação MIDI pronta para ser usada em aplicativos. Esta implementação está acessível a todos os desenvolvedores iOS e existe documentação completa sobre ela.

Apesar de ser largamente utilizada nos dias de hoje, MIDI está longe de ser algo novo. Foi na década de 80 que a tecnologia começou a se popularizar e de lá para cá nunca mais saiu de cena.

2- Mas como isso pode me ajudar a fazer música?

Ter a compatibilidade MIDI em iPads, iPhones e iPods Touch permitirá usar qualquer um destes equipamentos como um instrumento musical controlável por outro dispositivo MIDI, seja como módulo de timbres, sintetizador ou sequenciador. Também será possível usá-los como controladores multi-touch para qualquer qualquer outro equipamento MIDI ou instrumento virtual.

3- Será a primeira vez que iPhones, iPads e iPods funcionam com equipamentos MIDI?

Não. Há algum tempo já existem aplicativos para versões anteriores do iOS com funcionalidades MIDI. Diversos apps utilizam conexão sem fio com um computador que, por meio de um software, recebe e trata as mensagens MIDI.

Outra opção mais recente é uma interface fabricada pela Line 6, chamada MIDI Mobilizer. Trata-se de um acessório compatível com toda a linha dos gadgets multi-touch da Apple que, conectado à porta dock dos dispositivos, recebe e envia mensagens MIDI por meio de conectores MIDI tradicionais.

4- O que muda então com o iOS 4.2?

Para que apps funcionem com MIDI por Wi-fi é necessário ter um intermediário. Um software responsável por gerenciar as mensagens MIDI vindas e enviadas para o dispositivo iOS. Cada desenvolvedor optou por desenvolver seu próprio software auxiliar, ou decidiu por utilizar uma solução de código aberto. Logo, não há padronização. Isto faz com que, se você tiver 5 apps MIDI por Wi-fi para seu iPhone, de desenvolvedores que optaram por softwares diferentes, você terá que instalar 5 softwares distintos para que todos funcionem.

No caso da MIDI Mobilizer, a Line 6 desenvolveu todo o código responsável por implementar o funcionamento de seu acessório MIDI no iOS. O código hoje é liberado,  após conversas do desenvolvedor interessado com a Line 6, para a utilização em qualquer app (desde que aprovado pela Line 6).

A nova versão do iOS contará com a Core MIDI da apple, uma biblioteca já consagrada nos Macs, responsável pela implementação da funcionalidade MIDI nos equipamentos da empresa. Esta funcionalidade já estará disponível no SO nativamente e qualquer desenvolvedor pode utilizá-la, sem a necessidade de avaliações prévias ou software adicional.

5- Então, com o iOS 4.2 não preciso mais comprar um acessório como a MIDI Mobilizer da Line 6?

Não é bem assim. Até o momento surgiram na internet alguns vídeos de desenvolvedores demonstrando seus aplicativos musicais já preparados para o iOS 4.2. Nestes vídeos vimos iPads se comunicando com sintetizadores e outros dispositivos MIDI, via MIDI USB, por meio do acessório Apple Camera Kit (o leitor de cartões de memória e ligação de câmeras digitais para o iPad).

Nada foi divulgado até o momento sobre a conexão MIDI USB em iPhones e iPods Touch. O que se sabe é que estes dispositivos não são compatíveis com o Camera Kit, exclusivo para o iPad.

Mesmo no tablet, esta conexão tem alguns poréns. O iPad não é capaz de alimentar um dispositivo que necessite de energia via USB, que é o caso da grande maioria dos teclados controladores MIDI modernos. O tablet também não deverá funcionar com equipamentos que exijam instalação de drivers mais avançados. Até o momento, a conexão MIDI USB no iPad funciona com dispositivos alimentados por outras fontes de energia (rede elétrica, ou até mesmo Hubs USB alimentados) e com equipamentos que sejam controladores MIDI padrão, compatíveis de forma universal.

Além disso, boa parte dos equipamentos MIDI mais antigos não funciona com USB, mas sim com conectores MIDI tradicionais. E para este tipo de conexão, pelo menos até o momento, a MIDI Mobilizer é o único acessório MIDI possível para o iOS.  A implementação de compatibilidade com a interface da Line 6 não está parada.

Segundo fontes do blog CDM, mais de 75 aplicativos estão em processo de preparação para funcionar com o acessório.

6- Quando o iOS 4.2 for lançado todos os apps musicais passarão a ser compatíveis com MIDI instantaneamente?

De maneira alguma. Assim como ocorre com a MIDI Mobilizer, os desenvolvedores terão que lançar novas versões de seus apps musicais adicionando a funcionalidade. Será possível e bem-vindo que desenvolvedores lancem versões compatíveis com MIDI para diferentes formas de conexão. Além da nativa do iOS 4.2, os apps poderão funcionar sem fio (via Wi-fi) ou através da MIDI Mobilizer, ou qualquer outro acessório do gênero a ser lançado.

7- iPhones e iPods Touch também poderão ser usados ligados a teclados controladores por conexão MIDI USB, sem um acessório como a MIDI Mobilizer?

Não se sabe. Porém, acredito que o Apple Camera Kit não tem poderes mágicos. Aparentemente parece ser apenas uma forma de se conectar um cabo USB convencional aos dispositivos iOS para fazer a conexão com equipamentos MIDI USB.

Vale lembrar que os desenvolvedores de apps têm contrato de sigilo com a Apple. Desta forma, as informações deverão vir à tona com mais clareza apenas após o lançamento oficial do iOS 4.2.

8- Como fica a questão da latência nos dispositivos iOS?

Se tomarmos como base a performance da MIDI Mobilizer, a latência fica longe de ser um problema. Reparei que, no caso de apps funcionando com a MIDI Mobilizer, a latência varia de acordo com a qualidade de implementação no app. Em um mesmo dispositivo é possível rodar apps que funcionam sem nenhum problema com MIDI e outros que podem ter alguns “engasgos” durante a performance.

Também é bom lembrar que os equipamentos da Apple historicamente dão um show para o trabalho com áudio e vídeo. A nova geração de iPhones e iPods Touch não tem hardware de brinquedos, muito pelo contrário. Creio que isto está nas mãos dos desenvolvedores.

9- iPhones, iPods e iPads não têm teclas nem knobs, nem faders, nem sliders. Vários outros controladores físicos já fazem seu trabalho muito bem. Os instrumentos virtuais para PCs e Mac já estão bastante evoluídos e com mais qualidade sonora do que os apps do iOS. Não seria tudo isto muito barulho por nada?

Ótimo ponto. Tudo depende da análise. Se você considerar pegar um iPhone e tentar tocar uma música clássica controlando um instrumento virtual de piano com suas mini teclas, o resultado com certeza será frustrante.  O mesmo se aplica ao tentar comparar os timbres de um app de piano para o iOS com os de um software de 8 DVDs para seu desktop.

Mas pense por outro lado. Que tal um controlador multi-touch para controlar parâmetros de um sintetizador? Imagine filtros, modulação, efeitos, tudo isto podendo ser configurado e alterado em tempo real, na ponta dos dedos. Pense em controlar sequenciadores, apps para DJs. Que tal um controle XY gigante em um iPad? E a modulação controlada pelo acelerômetro? Theremins acionados pelo gisroscópio?

Na minha opinião, o que estamos vendo com as possibilidades geradas pelas telas multi-touch e os apps do iOS é o que de mais novo está acontecendo na forma de se fazer música em nosso tempo. Não encaro nenhuma destas novidades como algo pronto e acabado, mas imagino que coisas fantásticas virão por aí. Para somar, não para substituir.

10- O que esperar dos aplicativos musicais depois do iOS 4.2?

Apps cada vez mais criativos e versáteis, controladores mais úteis e completos. Notícias recentes mostram a chegada de instrumentos virtuais importantes para o iOS.  Será que teremos a migração de instrumentos virtuais tradicionais de PCs e Macs para o iOS? Guitarristas poderão usar apenas o iPhone como processador completo de efeitos? Tecladistas poderão carregar todos os seus timbres em um iPad ligado a 3 ou 4 teclados MIDI? iPads e DJs serão companheiros inseparáveis? Difícil dizer. O que posso garantir é que algo novo está acontecendo.

A quantidade imensa de dispositivos multi-touch espalhados pelo mundo atrai grandes empresas e pequenos desenvolvedores, que enxergam nestes dispositivos um gigante mercado a ser explorado. Os recursos oferecidos pela nova interface chama a atenção dos usuários, simplesmente por ser algo inovador e de alta tecnologia e, ao mesmo tempo, relativamente acessíveis. Os preços bem mais baixos dos apps, em relação aos softwares musicais e instrumentos tradicionais, gera rápida popularização de aplicativos entre os proprietários destes dispositivos, sem falar na facilidade de compra e download diretos no gadget. Grandes empresa e grandes artistas começam a assinar apps musicais que têm mais qualidade a cada dia.

No caso do iOS, a fabricante dos equipamentos que fazem tudo isto acontecer atualiza hardware e software com frequência, adicionando novas ferramentas para os desenvolvedores e mais recursos de hardware para os aplicativos. O ciclo do mercado está pronto e daí muitas coisas boas podem surgir. A implementação MIDI nestes dispositivos é apenas um dos indicativos de que veremos coisas mais surpreendentes.


Posts Relacionados

11 Comments

Leave A Response


5 + = catorze