Matérias, Notícias

Especial Mellotron no seu iPhone/iPod/iPad

Marcus Padrini julho 13, 2010 3 Comments »

O Mellotron é daqueles casos clássicos em que defeitos não desejados viraram características fundamentais e imutáveis. Este teclado eletromecânico, que utiliza um banco de fitas eletromagnéticas com a gravação de notas de instrumentos reais, surgiu na Inglaterra em 1960 e ganhou a música mundial.  O Mellotron apresentou a possibilidade de ter timbres diferentes dos instrumentos pouco comuns em bandas, sem a necessidade de dezenas de músicos, podendo ser executado por apenas um tecladista. Na época não existiam os teclados que conhecemos hoje e os projetos de sintetizadores engatinhavam. Até então ter sons de flautas em uma música, por exemplo, significava ter flautistas tocando. O mesmo valia para violinos e afins.

O teclado que oferecia diversos timbres de uma maneira “muito simples” foi vendido inicialmente para ser o instrumento da família (veja vídeo abaixo). Algumas fitas apresentavam loops com harmonias que podiam ser acionadas com apenas um dedo da mão esquerda. Isto foi uma revolução. Era possível tocar, quase sem saber tocar. Porém, seus timbres característicos foram além das casas e logo caíram no gosto de músicos e produtores e o Mellotron esteve presente em grandes clássicos de diversos gêneros musicais, de Beatles (Strawberry Fields Forever) a Marvin Gaye (“Mercy Mercy Me “).  Sua utilização mais marcante porém, ocorreu, sem dúvidas, no Rock Progressivo. Pink Floyd, Genesis, King Crimson e diversas outras bandas utilizaram suas fitas eletromagnéticas das maneiras mais diversas e criativas.

Quando disse que defeitos não desejados viraram características fundamentais, posso não ter sido claro, mas imagine só: um teclado que dispara uma gravação em fita magnética feita com os recursos das décadas de 50 e 60, com um motor não muito silencioso e barulho de cabeçotes aqui e ali, podia soar como muita coisa, mas dificilmente como os instrumentos originais em sonoridade pura. Porém os ruídos e “defeitos” do processo de emissão do som do Mellotron estão imortalizados em gravações, agradam músicos e ouvintes e é realmente difícil imaginar várias músicas sem estes timbres.

Tudo evoluiu, os teclados ficaram menores e mais leves,  a grande maioria é digital, os computadores entraram no processo, a qualidade dos samples ficou cada vez mais impressionante, a música foi parar nos telefones celulares, assim como os instrumentos musicais! Agora, com qualidade superior de samples, com instrumentos virtuais complexos e completos, com teclados com hardware e software capazes de confundir até os ouvidos mais exigentes na hora de dizer o que é o som de um instrumento real e o que é produzido digitalmente, é hora de abandonar o passado, certo? Errado! Para muitos, agora é hora de  utilizar tudo isso para gravar e reproduzir aquele bom e velho som dos Mellotrons, em seu computador, ou até mesmo em seu iPhone/iPod/iPad!  :)

Outro dia, em um fórum na internet, alguém me perguntou sobre o fato dos apps do iPhone/iPod/iPad serem realmente capazes de gerar sons de alta qualidade, comparáveis aos dos teclados e VSTis (instrumentos virtuais geralmente utilizados em desktops). Para tirar a prova, fiz uma pequena comparação entre um grande VSTi e um app para iPhone/iPod: gravei um pequeno trecho da introdução da música Starless (King Crimson) utilizando o M-tron em um notebook e o Manetron em um iPhone. Os demais instrumentos da gravação permanecem os mesmos nas duas versões e foram selecionados aleatoriamente.

starless playback intro mtron

starless playback intro iphone Manetron

Particularmente gostei muito do Manetron, achei o som rico, e a possibilidade de inserir os “defeitos” do Mellotron, como o som do motor ou barulho das fitas, deixou tudo ainda mais interessante. Obviamente ainda não é possível comparar a tocabilidade de um controlador MIDI (utilizado para gravar o M-tron) com a de um pequeno iPhone, porém neste artigo já surge a esperança de que, em breve, o iPhone poderá ser um módulo para ser controlado por um teclado MIDI, ou um controlador MIDI para comandar qualquer módulo ou sintetizador.

Sobre os apps de Mellotron para dispositivos Apple, disponíveis na App Store BR, é importante dizer que, com as diferentes demandas dos usuários, os desenvolvedores apresentam diversas opções para os amantes do instrumento. Desde apps fiéis às origens até outros mais sofisticados e com muito mais recursos do que o equipamento original jamais sonhou oferecer. Com a chegada do iPad surgem também novas versões dos aplicativos adaptadas para o tablet.

Vamos falar rapidamente sobre os “especialistas” em simular um Mellotron disponíveis na App Store.

iPhone e iPod Touch (compatíveis com iPad)

O Manetron para iPhone é extremamente simples de usar, foi o primeiro app de Mellotron que tive contato no iPhone e a primeira impressão foi surpreendente. Vi rapidamente que o resultado obtido seria parecido ao  que se poderia conseguir com os VSTis. O Manetron apresenta sons gravados em alta qualidade, de um equipamento M400S original.  O app apresenta apenas 3 timbres (celo, strings e flauta) e tenta ser fiel às características do Mellotron original, como, por exemplo, disponibilizando sons com duração de apenas 7 segundos, sem a opção de loop. No Manetron ainda é possível inserir o ruído do motor e também das fitas magnéticas. Leia o review completo.

O Ellatron já apresenta uma proposta um pouco diferente: Traz os sons tradicionais do Mellotron , mas também apresenta  vários outros  e disponibiliza recursos que o equipamento original nunca implementou: os sons estão em loop infinito, é possível selecionar dois timbres (um para cada pequeno teclado da tela), existe a opção de aumentar o teclado, gravar acordes e memorizá-los em pads para serem utilizados em uma harmonia com muito mais facilidade, em virtude das teclas muito pequenas do app para iPhone. Leia o review completo.

iPad (exclusivos até o momento do review)

O Manetron Mark II (exclusivo para iPad) foi lançado como grande novidade da Inside Out, prometeu timbres diferentes, gravados do clássico modelo Mark II, e tocabilidade surpreendente. Porém, limitações importantes ainda estão presentes nesta versão para iPad e outras que não existiam foram criadas. De toda forma, o teclado na tela grande a possibilidade de dois teclados na interface são pontos bastante positivos. Segundo o desenvolvedor, uma nova versão está por vir e nela diversas modificações importantes. Vou aguardar para fazer o review.

A Omenie Software, desenvolvedora do Ellatron, não perdeu tempo e lançou, de uma só vez, duas versões de Mellotrons para iPad: a primeira é a adaptação do Ellatron para Ellatron HD para iPad: mais sons, mais tocabilidade, tela maior, mas a mesma interface e o dobro do preço. A segunda parece ser mais interessante: trata-se do Mellotronics M3000 para iPad. O app é apresentado como o único software simulador de Mellotron licenciado pelo fabricante do equipamento e foi produzido utilizando o banco de fitas originais da Streetly Mellotronics, responsável por sons como os utilizados em Strawberry Fields Forever, Nights in White Satin, Whatcher of the Skies e muitas outras. Leia o review completo.

Não importa qual é o seu gadget. Toda a linha de iPods, iPhones e iPads conta com excelentes apps para quem gosta dos timbres do bom e velho Mellotron! Com os reviews do MusicApps, espero ter ajudado a definir qual deles é o mais interessante para a sua utilização! Abraços e até a próxima :)


Posts Relacionados

3 Comments

Leave A Response


+ cinco = 14